Saúde

PERICARDITE: Diagnóstico, Fatores de risco e Tratamentos

 

 

Vamos tirar agora suas duvidas sobre Pericardite.

Você sabia que seu coração também pode ficar infectado ou inflamado?

Sim, existem vários sites na estrutura do coração que podem tornar-se suscetíveis a infecções em determinadas circunstâncias.

Um deles é o pericárdio, duas camadas de membrana ou bolsa que cobre o aspecto exterior do coração.

E inflamação ou infecção do pericárdio é chamada pericardite.

Em circunstâncias normais, o pericárdio contém cerca de 50 ml de líquido.

Uma vez pericardite define, em quantidades variáveis de excesso de líquido se secretado para o espaço pericárdico, que pode variar de leve a grave.

Existem dois tipos de pericardite: aguda e crônica.

A pericardite aguda regride dentro de 5-6 semanas por medicação adequada.

Mas se a medicação é descontinuada ou não tomada corretamente, a condição se agrava e leva à pericardite crônica.

Pericardite pode também progredir dentro de poucas semanas após um ataque cardíaco ou cirurgia cardíaca.

Os sintomas da pericardite são: dor no peito, falta de ar, palpitações, febre e tosse.

 

→ PRINCIPAIS DICAS FINAL DO ARTIGO

dieta.blog.brpericardite-diagnostico-fatores-de-risco-e-tratamento

 

>> Recomendamos para Você:

 

Quer ver depoimentos e dicas sobre Pressão Arterial

Deixe seu comentário no vídeo abaixo!

Trabalhamos com amor e dentro do possível seu comentário será respondido!

Este conteúdo não substitui uma consulta medica!

#dietablogbr

 

(VÍDEO) 07 Alimentos que Ajudam a Baixar a Pressão Alta – Hipertensão

 

FAZ COM QUE

Existem várias causas de pericardite. A causa mais comum é uma infecção bacteriana ou viral.

Na Índia, a tuberculose é uma das causas mais comuns, mas também pode ocorrer devido a uma infecção viral.

Em crianças, a febre reumática é uma causa comum de pericardite. Outras causas incluem:

  • Cirurgia cardíaca
  • Autoimunes a doenças como artrite e Lúpus
  • Distúrbios da tireoide

Em alguns casos, a causa subjacente não pode ser identificada. Isso é chamado de pericardite idiopática.

 

FATORES DE RISCO

Pericardite pode afetar quase qualquer um, mas é mais comumente visto em crianças e pessoas com imunidade reduzida ou pessoas com sua imunidade comprometida.

Pacientes com doenças autoimunes e pacientes que necessitam de radioterapia são também um risco de desenvolver pericardite.

 

SINTOMAS

O sintoma mais comum da pericardite é a dor no peito. Geralmente é afiada e é causada pela fricção entre as duas camadas do pericárdio durante a contração cardíaca e relaxamento.

Dor no peito pode ainda ser agravada e pode ser aliviada em certa medida por sentar-se e inclinando-se para frente.

Além de dor no peito, pacientes podem também sentir falta de ar e tosse.

 

DIAGNÓSTICO

Se você tem qualquer tipo de dor no peito, sintoma de doença cardíaca, seu médico pode realizar um exame físico para identificar se é devido à pericardite.

Um exame com um estetoscópio que revela um som típico (chamado rub pericárdica) é uma indicação da condição.

Com história relevante, dor no peito característico e audição de esfregar pericárdica a condição é confirmada.

Um ecocardiograma e o eletrocardiograma podem ser sugeridos para um estudo mais aprofundado da gravidade da condição.

Um ecocardiográfico mostra a extensão de coleção de líquido no saco pericárdico.

Se é grave, então, o médico pode ter que tirar fora através da inserção de uma agulha.

 

TRATAMENTO

O tratamento depende da causa subjacente. Em casos onde a pericardite cronica é causada por uma infecção viral, geralmente é auto limitantes.

Em tais casos, o tratamento é geralmente dado para aliviar os sintomas.

Para tratar dor no peito, por exemplo, analgésicos podem ser prescritos por alguns dias ou semanas.

Para toda a duração do tratamento, no entanto, fechar vigilância é mantida na função renal, como estas drogas podem prejudicar os rins. No geral, o prognóstico é bom.

Se a inflamação é devido à tuberculose, o tratamento prolongado com drogas antituberculosa é necessário.

O prognóstico é bom com medicação apropriada, se tomado para a duração prescrita.

Em alguns casos de pericardite constritiva, o tratamento é necessário por um longo período.

Em casos ocasionais, quando o líquido se acumula no saco pericárdico significativamente, então ele é batido para fora, inserindo uma agulha no espaço pericárdico.

 

PREVENÇÃO

Como mais comumente ocorre como uma complicação de uma infecção viral, como a tuberculose, sem métodos preventivos definitivos estão disponíveis.

ATUALIZADO: 04.04.18

 

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ »
→ Kiwi
→ Vinagre de Maça
→ Dieta
→ Dieta da Agua
→ Dieta para Emagrecer
→ Semolina
→ Batata Doce
→ Xanax
→ Dieta Cetogenica
→ Intoxicação Alimentar
→ Cha Verde
→ Remedio para Emagrecer