Nova Dieta Saudável com Cardápio de Nutricionista (2016)

Tudo Sobre Nova Dieta Saudável com Cardápio de Nutricionista (2016)

Nova_Dieta_Saudavel_com_Cardapio_de_Nutricionista_mini_mini_mini_mini

A Verdade por Trás de 5 Mitos Sobre Alimentos

Se você acha que batata-doce é superior a regulares batatas, e que carne vermelha pode te matar. Você pode querer ler isto.

A verdade: mitos sobre alimentos só fazem o trabalho de um nutricionista ficar mais difícil do que ele realmente já é as pessoas tem o habito de sempre acreditar nas outras, mas sem saber que quem fala muitas vezes não tem o conhecimento especifico para realmente falar a verdade.

Isso é porque a desinformação de nutrição engana os homens em sendo confuso e frustrado em sua busca para uma alimentação saudável, mesmo se eles já estão conseguindo ótimos resultados.

Felizmente, você está prestes a ser iluminado pela ciência. Aqui estão cinco falácias de comida que pode esquecer para sempre.

 

> Mito #1: “ingestão de proteínas elevadas é prejudicial para os rins”.

De origem: Em 1983, pesquisadores descobriram primeiro que comer mais proteína aumenta sua “taxa de filtração glomerular” ou GFR. Pense em TFG como a quantidade de sangue que seus rins estão filtrando por minuto.

Partir desta constatação, muitos cientistas fizeram o salto que uma TFG superior coloca seus rins sob um estresse maior.

O que a ciência realmente mostra: Quase 2 décadas atrás, um holandês pesquisador descobriu que enquanto uma refeição rica em proteína aumentar a TFG, não teve um efeito adverso na função renal global.

Na verdade, não ha nenhuma pesquisa publicada ate os dias de hoje mostrando que tragar grandes quantidades de proteína especificamente, se a 1,27 gramas por quilo do peso de seu corpo um dia danifica seus rins saudáveis.

>> Recomendamos para Você:

(VÍDEO) 10 Alimentos para Aumentar a Imunidade

(VÍDEO) Alimentos que Deixam a Pele mais Bonita

(VÍDEO) 12 Alimentos para um cabelo bonito e saudável

> Mito #2: “batatas-doces são melhor do que batatas brancas”.

De origem: Porque a maioria dos americanos comem a versão altamente processada da batata branca, por exemplo, batatas fritas e chips de batata o consumo deste vegetal de raiz tem sido associado à obesidade e um risco aumentado de diabetes.

Entretanto, batata-doce, que são normalmente comida por todos, foi celebrada por ser rico em nutrientes e também ter um índice glicêmico menor do que seus irmãos brancos.

O que a ciência realmente mostra: Batata branca e batata-doce têm diferenças nutricionais complementares, mas um não é necessariamente melhor que o outro.

Por exemplo, batata-doce tem mais fibra e vitamina A, mas batatas brancas são mais elevadas em minerais essenciais, como ferro, magnésio e potássio.

Quanto ao índice glicêmico, batata-doce é mais baixa na escala, mas batatas assadas brancas normalmente não são comidas sem creme de leite, queijo ou manteiga. Todas essas coberturas contêm gordura, o que reduz o índice glicêmico de uma refeição.

A linha de fundo: A forma em que você consome uma batata, por exemplo, uma batata assada contra uma batata processada que é usada para fazer batatas fritas e chips é mais importante do que o tipo de batata.

 

> Mito #3: “carne vermelha causa câncer”.

De origem: Em um estudo de 1986, os pesquisadores japoneses descobriram câncer desenvolvendo em ratos que foram alimentados com “aminas heterocíclicos,” compostos que são gerados a partir de carne cozida demais sob o calor elevado. E desde então, alguns estudos de grandes populações têm sugerido uma potencial relação entre carne e câncer.

O que a ciência realmente mostra: Nenhum estudo já encontrou uma relação direta de causa e efeito entre o consumo de carne vermelha e câncer.

Como para estudos de população, estão longe de ser conclusivo. Isso é porque eles contam com um amplo levantamento de hábitos alimentares do povo e aflições de saúde, e esses números são simplesmente triturados para encontrar tendências, não causas.

A linha de fundo: Não pare para grelhar. Amantes da carne que estão preocupados com os supostos riscos de carne grelhada não precisam evitar hambúrgueres e bifes em vez disso, eles devem apenas recortar as seções queimadas ou mal cozidas de carne antes de comer.

 

Mito #4: “Xarope de milho (HFCS) engorda mais do que o açúcar regular”.

De origem: Em um estudo de 1968, ratos que foram alimentados com grandes quantidades de frutose desenvolveram altos níveis de gordura em sua corrente sanguínea.

O que a ciência realmente mostra: Ambos os HFCS e a sacarose mais conhecido como açúcar de mesa contêm quantidades semelhantes de frutose. Por exemplo, os dois tipos mais usados de HFCS são HFCS-42 e HFCS-55, que são 42 e 55% de frutose, respectivamente.

Sacarose é quase quimicamente idêntico, contendo 50% de frutose. É por isso que a Universidade da Califórnia determina ingestão de frutose da sacarose e HFCS.

A verdade é que, não há nenhuma evidência para mostrar as diferenças nestes dois tipos de açúcar. Ambos irão causar ganho de peso quando consumidos em excesso.

A linha de fundo: HFC e açúcar regular são carboidratos de calorias vazias que devem ser consumidos em quantidades limitadas. Como? Mantendo refrigerantes, sucos de frutas adoçadas e pré-embalados e sobremesas ao mínimo.

 

> Mito #5: “sal faz com que a pressão arterial seja elevada e deve ser evitado”.

De origem: Na década de 1940, um pesquisador da Universidade de Duke chamado Walter Kempner, M.D., tornou-se famoso por usar a restrição de sal para tratar pessoas com pressão arterial elevada.

Mais tarde, estudos confirmaram que reduzir o sal pode ajudar a reduzir a hipertensão.

O que a ciência realmente mostra: Comentários científicos em larga escala tem determinado que não houvesse nenhuma razão para as pessoas com pressão arterial normal para restringir a sua ingestão de sódio.

Agora, se você já tem pressão arterial alta, você pode ser “sensível ao sal”. Como resultado, reduzindo a quantidade de sal que você come pode ser útil.

No entanto, isso é sabido nos últimos 20 anos que pessoas com pressão arterial elevada que não querem reduzir sua ingestão de sal podem simplesmente consumir mais alimentos que contenham potássio.

Por quê? Porque é realmente o equilíbrio dos dois minerais que importa.

Uma ingestão de potássio baixo tem o mesmo impacto sobre a pressão arterial como o alto consumo de sal faz. E afinal, o indivíduo médio consome 3.100 miligramas (mg) de potássio por dia 1.600 mg menos do que o recomendado.

A linha de fundo: Esforce-se para uma dieta rica em potássio, que você pode conseguir por comer uma grande variedade de frutas, verduras e legumes.

Por exemplo, espinafre, brócolis, banana, batatas cozidas e a maioria dos tipos de feijão todas contêm potássio de mais o menos 400 mg por porção.

>> SUGESTÃO DE CARDÁPIO PARA EMAGRECER:

CAFÉ DA MANHÃ
Suco verde: bata o suco de 2 laranjas, 1/2 cenoura (ou 1/2 maçã), 1 folha de couve, suco de 1/2 limão, 1 rodela de gengibre, 1/2 copo (100 ml) de água de coco (ou água) e beba sem coar

 

LANCHE DA MANHÃ
1 taça de salada de frutas (maçã, abacaxi e melão) com 1 col. (sopa) de aveia (ou quinua em flocos)

 

ALMOÇO
1 prato (sobremesa) de salada de folhas verdes-escuras (rúcula, agrião, escarola, couve) com 1/2 beterraba ralada
1 filé (100 g) de frango grelhado
1/2 cará (ou batata-doce) cozido ou assado com ervas
2 col. (sopa) de vagem refogada com cebola e tomate

 

LANCHE DA TARDE
1 cenoura e 1 pepino cortados em palito

 

JANTAR
1 prato (fundo) de sopa de abóbora com gengibre (ou salada de folhas verdes à vontade)
1 ovo mexido com 1/2 tomate em cubos e orégano

 

CEIA
3 col. (sopa) de abacate com quinua em flocos (ou 1 copo/200 ml de suco de uva integral sem açúcar)

LÍQUIDOS: água pura (no mínimo 1,5 litro) é chá à vontade (verde, hibisco, dente-de-leão).

 

» » RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

anel-magnetico

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *