NAPROXENO: Para que Serve, Indicações, Efeitos Colaterais

Tudo sobre o Naproxeno, Para que serve e seus Efeitos Colaterais

naproxeno

NAPROXENO

O naproxeno é um fármaco anti-inflamatório não esteroide (AINE). Ele funciona através da redução dos hormonios que causam inflamação e dor no corpo.

O naproxeno é utilizado para tratar a dor ou a inflamação causada por condições, tais como artrite, espondilite anquilosante, tendinite, bursite, gota, ou cólicas menstruais.

O naproxeno também podem ser utilizados para fins não mencionados neste guia medicação.

 

>> Recomendamos para Você:

 

(VÍDEO) Farmacologia – Anti-Inflamatórios Não Esteroides

 

(VÍDEO) Açafrão é o Antiinflamatório Mais Poderoso Que Existe

 

(VÍDEO) ANTI-INFLAMATÓRIO NATURAL – COMO FORTALECER O SISTEMA IMUNOLÓGICO?

>> Informações importantes

Você não deve usar o naproxeno, se você tem um histórico de reação alérgica a aspirina ou outros AINEs (medicamentos anti-inflamatórios não esteroides).

O naproxeno pode aumentar o risco de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, especialmente se você usar a longo prazo ou tiver doenças cardíacas. Não use este medicamento antes ou após a cirurgia de ponte de safena.

Obtenha ajuda médica de emergência se você tiver dor no peito, fraqueza, falta de ar, fala arrastada, ou problemas com a visão ou o equilíbrio.

O naproxeno pode também causar hemorragia no estômago ou intestinal, o que pode ser fatal. Estas condições podem ocorrer sem aviso prévio enquanto está tomando naproxeno.

 

>> Como devo tomar naproxeno?

Use naproxeno exatamente como indicado no rótulo, ou como prescrito pelo seu médico. Não use em quantidades maiores ou menores ou por mais tempo do que o recomendado.

Agite a suspensão oral (líquido) bem antes de você medir a dose. Meça o líquido com um dispositivo especial de medição da dose.

Se você usar esta medicação em longo prazo, pode ser necessário exames médicos frequentes no consultório do seu médico. Conservar à temperatura ambiente longe da umidade e calor.

 

>> Efeitos secundários Naproxeno

Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de uma reação alérgica ao naproxeno: urticária; dificuldade em respirar; inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

 

>>Suspenda o uso de naproxeno e chame o médico imediatamente se tiver:

– Dor no peito, fraqueza, falta de ar, fala arrastada, problemas com a visão ou o equilíbrio;
– Fezes escuras;
– Tosse com sangue ou vômito que se parece com borra de café;
– Inchaço ou ganho de peso rápido, pouco ou nenhuma vontade de urinar;
– Náuseas, dor de estômago superior, comichão, perda de apetite, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou olhos);
– Hematomas, formigamento grave, dormência, dor, fraqueza muscular;
– Febre, dor de cabeça, rigidez de nuca, calafrios, aumento da sensibilidade à luz, manchas roxas na pele, e / ou apreensão (convulsões);
– Reação cutânea grave – febre, dor de garganta, inchaço no rosto ou língua, ardor nos olhos, dor de pele, seguida por uma erupção cutânea vermelha ou roxa que se espalha (especialmente no rosto ou corpo superior) e provoca bolhas e descamação.

 

>> Efeitos colaterais naproxeno comuns podem incluir:

– Dor de estômago, azia leve ou dor de estômago, diarreia, prisão de ventre;
– Inchaço, gases;
– Tonturas, dor de cabeça, nervosismo;
– Comichão ou erupção cutânea;
Visão turva; ou
– Zumbido nos ouvidos.

 

Naproxeno Sódico TEVA: Sua Dosagem

Modo de administração

Por via oral.

Os comprimidos são engolidos inteiros com um copo cheio de água.

 

Dosagem

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose possível para o período de tempo necessário para controlar os sintomas.

Tratamento de ataque: 2 comprimidos de 550 mg ou 1100 mg por dia.

Tratamento de manutenção: 1 comprimido de 550 mg ou 550 mg diários.

 

Idosos

Monitorização clínica e laboratorial é recomendada em doses elevadas.

Um estudo mostrou que, entre as pessoas idosas, a concentração plasmática de ião naproxeno livre é dobrada, embora a concentração total no plasma permaneça inalterada.

Uma redução da dose deve ser considerada no caso de eliminação renal reduzida.

 

Frequência de Administração

Os comprimidos devem ser tomados com uma refeição.
A dose é dividida em 1 ou 2 doses.

Naproxeno sódico TEVA: sua aparência e forma

Comprimido revestido por película gravada oblongo branco 93, de um lado, 537 no outro lado.

 

Naproxeno Sódico TEVA: Apresentação

Naproxeno sódico TEVA: como funciona

Anti-inflamatórios NÃO ESTEROIDAIS. (H: sistema musculoesquelético). O naproxeno é um anti-inflamatório sem esteroide derivado do ácido aril-carboxílico pertencente ao grupo propiónico:

Atividade anti-inflamatória. Atividade analgésica. Antipirética. Atividade inibidora da função das plaquetas.

Todas estas propriedades estão relacionadas com a inibição da síntese de prostaglandinas.

 

(VÍDEO) Alimentos Anti-inflamatórios

 

O que Fazer para Condutores de Veículos

Alertar os pacientes sobre a possível ocorrência de tonturas e distúrbios visuais.

Naproxeno sódico TEVA: suas contra-indicações

Este medicamento é contra-indicado nos seguintes casos:

  • Mais de 24 semanas de gestação (5 meses de gravidez)
  • Alergia ou uma história de asma desencadeada por tomar substâncias naproxeno ou atividade similar, tais como AINEs, ácido acetilsalicílico,
  • Hipersensibilidade a qualquer um dos excipientes,
  • História de hemorragia ou perfuração gastrointestinal durante a terapia anterior com AINEs,
  • Úlcera péptica activa, úlcera péptica ou hemorragia recorrente (2 episódios distintos ou mais sangramento ou ulceração objetivado)
  • Insuficiência hepática grave,
  • Insuficiência renal grave
  • Insuficiência cardíaca grave
  • Criança com menos de 15 anos.

 

 

Naproxeno Sódico TEVA: as Suas Precauções de Utilização

Avisos

O uso concomitante de naproxeno sódico Teva 550 mg comprimidos revestidos por película com outros AINEs, incluindo ciclooxigenase seletiva 2 (COX-2), deve ser evitado.

Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose possível para o período de tempo necessário para controlar os sintomas.

Os pacientes com asma associada à rinite crônica, sinusite e / ou polipose nasal, têm um risco menor de reação alérgica ao tomar ácido acetilsalicílico ou anti-inflamatório do que o resto da população.

A administração desta especialidade pode causar um ataque de asma, particularmente em indivíduos alérgicos à aspirina ou um AINE.

 

Idosos

Os idosos têm um risco aumentado de reações adversas aos AINEs, especialmente hemorragia digestiva e perfuração que pode ser fatal.

 

Efeitos Gastrointestinais

Sangramento, ulceração ou perfuração gastrointestinal, por vezes fatais foram relatadas com todos os AINEs em qualquer momento durante o tratamento, sem que necessariamente tivessem sinais de alerta ou histórico de reações adversas gastrointestinal graves.

O risco de hemorragia, ulceração ou perfuração gastrointestinal aumenta com a dose usada em pacientes com histórico de úlcera péptica, especialmente se associada a hemorragia ou perfuração e em idosos.

Nestes doentes, o tratamento deve ser iniciado com a dose mais baixa possível.

Tratamento de proteção da mucosa (por exemplo, misoprostol ou inibidor da bomba de protões) deve ser considerado para estes pacientes, e pacientes que necessitam de uma dose baixa de aspirina concomitante ou tratado com outros fármacos que podem aumentar o risco gastrointestinal.

Pacientes com histórico gastrointestinal, especialmente se ele é idoso, deve reportar quaisquer sintomas abdominais invulgares (sangramento especialmente gastrointestinal) particularmente no início do tratamento.

Particular atenção deve ser dada aos pacientes que receberam tratamentos associados que podem aumentar o risco de ulceração ou hemorragia.

Tais como corticosteróides administrados por via oral, anticoagulantes orais como a varfarina, inibidores seletivos da receptação de (SSRIs) e antiagregantes plaquetários, como o ácido acetilsalicílico.

Em caso de ocorrência de sangramento ou ulceração em doentes que receberam naproxeno o tratamento deve ser interrompido.

NSAIDs deve ser administrado com precaução e sob monitorização cuidadosa em pacientes com histórico de doença gastrointestinal (colite ulcerativa, doença de Crohn), devido ao risco de agravamento da doença.

 

Efeitos Cardiovasculares e Cerebrovasculares

Monitoramento e recomendações adequadas são necessários em pacientes com história de hipertensão e / ou insuficiência cardíaca leve a moderada, os casos de retenção de líquidos e foram relatados em associação com a terapia de NSAID.

Estudos clínicos e epidemiológicos sugerem que os dados de utilização coxibes e alguns AINEs (particularmente quando usada em doses elevadas e por um longo período de tempo) podem ser associados a um pequeno aumento do risco de eventos trombóticos arteriais (por exemplo, enfarte do miocárdio ou acidente vascular cerebral).

Embora estes dados sugiram que o uso de naproxeno (100 mg por dia) está associada com um risco mais baixo, o risco pode não ser totalmente excluídos.

Doentes com hipertensão não controlada, insuficiência cardíaca congestiva, doença cardíaca isquêmica, doença arterial periférica, e / ou com uma história de acidente vascular cerebral (incluindo ataque isquêmico transitório) só deve ser tratada com naproxeno que depois de cuidadosa consideração.

Consideração semelhante deverá ser feita antes de iniciar um tratamento em longo prazo em pacientes com fatores de risco para doenças cardiovasculares (como hipertensão, hiperlipidemia, diabetes ou tabagismo).

 

Efeitos de Pele

Reações cutâneas graves, algumas delas fatais, incluindo dermatite esfoliativa, síndrome de Stevens-Johnson e síndrome de Lyell foram notificadas muito raramente durante o tratamento com AINEs

A incidência destes efeitos adversos parece mais importante no início do tratamento, o tempo para o início variando, na maioria dos casos, durante o primeiro mês de tratamento.

Naproxeno deve ser interrompido ao primeiro sinal de rash cutâneo, lesões nas mucosas ou qualquer outro sinal de hipersensibilidade.

 

Insuficiência Renal Funcional

AINEs inibe a ação vasodilatadora da prostaglandina renal que pode causar insuficiência pré-renal por uma diminuição na taxa de filtração glomerular. Este efeito secundário é dependente da dose.

No início do tratamento ou após um aumento da dose, a monitorização da diurese e da função renal é recomendada em pacientes com os seguintes fatores de risco:

  • Idosos,
  • Medicamentos associados, tais como os inibidores da ECA, BRA, diuréticos,
  • A hipovolemia qualquer que seja a causa,
  • Insuficiência cardíaca,
  • A insuficiência renal crônica,
  • Síndrome nefrótica,
  • A nefrite lúpica,
  • Descompensada cirrose hepática.

Como naproxeno e seus metabólitos são excretados em grande parte (95 por cento) na urina por filtração glomerular, naproxeno deve ser usado com precaução em doentes cuja função renal é prejudicada; controlo de creatinina é recomendada.

Deve ser utilizado nestes doentes a dose mais pequena possível.

 

A Retenção de Líquidos

Retenção de sódio com edema traz possibilidade de hipertensão ou sobretaxa de hipertensão, agravamento da insuficiência cardíaca.

A monitorização clínica é necessária, desde o início do tratamento, no caso de hipertensão ou insuficiência cardíaca.

A diminuição do efeito de anti-hipertensivos é possível

 

Hipercalemia

Hiperpotassemia promovido pela diabetes ou tratamento concomitante com fármacos poupadores de potássio.

Monitorização regular do potássio sérico deve ser feito nestas circunstâncias.

Precauções

Este produto deve ser usado com cautela se houver natureza infecciosa de doenças ou um risco de infecção bem controlado.

Com efeito:

Naproxeno pode ser capaz de reduzir as defesas naturais do organismo contra a infecção,

Naproxeno pode ser capaz de mascarar os sinais e sintomas de infecção habituais.

Naproxeno provoca uma diminuição da agregação plaquetária e tempo de hemorragia prolongado:

Isto deve ser levado em conta ao determinar o tempo de sangramento;

Pacientes com distúrbios hemorrágicos ou tratados com medicamentos que interfiram com a hemostase devem ser cuidadosamente monitorizados quando se administra o naproxeno.

Casos raros de efeitos colaterais oculares têm sido relatados, recomenda-se o médico considerar necessário, um exame oftalmológico em pacientes que desenvolvem visão turva.

Durante o tratamento prolongado, recomenda-se verificar as funções de contagem de sangue, fígado e rins.

Naproxeno como qualquer inibidor da síntese de drogas da ciclooxigenase e prostaglandinas, pode comprometer a fertilidade. Seu uso não é recomendado em mulheres que pretendam engravidar.

Naproxeno existe como outros ensaios que podem ser mais adequadas.

 

(VÍDEO) Aprenda a fazer um suco antiinflamatório

 

Naproxeno Sódico TEVA: Suas Interações

Risco relacionado com a hipercalemia:

Algumas drogas ou classes terapêuticas podem favorecer o aparecimento de hipercalemia: sais de potássio, diuréticos poupadores, inibidores da enzima de conversão da angiotensina, antagonistas da angiotensina II, fármacos anti-inflamatórios não esteróides, heparinas (baixo peso molecular ou não fracionada), imunossupressores, como a ciclosporina ou tacrolimus, trimetoprim.

A combinação destas drogas aumenta o risco de hipercaliemia.

Esse risco é particularmente importante com diuréticos poupadores de potássio, especialmente quando combinados uns com os outros ou com os sais de potássio, enquanto que a combinação de um inibidor de ACE e um NSAID, por exemplo, é mais seguro que as implementadas as precauções recomendadas.

Para riscos e níveis de restrições específicos poupadores de drogas, deve referir-se a interações específicas de cada substância.

No entanto, certas substâncias como o trimetoprim, não sujeitos a interações específicas em relação a este risco.

No entanto, eles podem atuar como fatores que promovem, quando combinada com outros medicamentos, tais como aqueles mencionados acima.

 

Combinações não Recomendadas

Outros AINEs

Aumento do risco ulcerogênico e sangramento gastrointestinal.

Ácido acetilsalicílico com doses anti-inflamatórias (≥ 1 g por dose e / ou ≥ 3 g por dia), e analgésicos antipiréticos ou doses (≥ 500 mg por dose e / ou <3 g por dia)

Aumento do risco ulcerogênico e sangramento gastrointestinal.

 

Anticoagulantes Orais

Aumento do risco de sangramento do anticoagulante oral (agressão da mucosa gastroduodenal pelos AINE). Os AINEs podem aumentar os efeitos dos anticoagulantes, como a varfarina.

Se a associação não puder ser evitada, monitorização clínica rigorosa e biológica.

As heparinas não fraccionada, heparinas de baixo peso molecular e afins (em doses curativas e / ou no idoso)

Aumento do risco de sangramento (agressão da mucosa gastroduodenal pelos AINE). Se a associação não puder ser evitada, monitorização clínica cuidadosa.

 

Lítio

O aumento das concentrações séricas de lítio e níveis tóxicos (diminuição da excreção renal de lítio).

Se a associação não puder ser evitada, monitorização dos níveis séricos de lítio e dosagem de lítio ajustado durante a associação e depois de parar o NSAID.

Metotrexato utilizado com doses superiores a 20 mg / semana

Aumento da toxicidade hematológica do metotrexato (diminuição da depuração renal do metotrexato por medicamentos anti-inflamatórios).

Pemetrexeda (pacientes com função renal baixa a depuração da creatinina entre 45 ml / min e 80 mL / min moderada)

Risco de sobreposição da toxicidade com pemetrexed (diminuição da depuração renal pelos AINEs).

Associações que requerem precauções de utilização

Ciclosporina, tacrolimus

O risco de efeitos nefrotóxicos de aditivos, particularmente nos idosos.

Monitorizar a função renal no início do tratamento com AINEs.

Diuréticos, inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ACE), antagonistas do receptor de angiotensina II

Insuficiência renal aguda em que o paciente em risco (idosos e / ou desidratado) pela redução da filtração glomerular (inibição das prostaglandinas vasodilatadoras por AINEs). Além disso, a redução do efeito anti-hipertensivo.

Hidratar o doente. Monitorizar a função renal no início do estudo.

Metotrexato usadas em doses inferiores ou / semana igual a 20 mg

Aumento da toxicidade hematológica do metotrexato (diminuição da depuração renal do metotrexato por medicamentos anti-inflamatórios).

Monitorização semanal da contagem de sangue durante as primeiras semanas da associação.

Aumento da vigilância em caso de alteração (mesmo ligeiro) da função renal em idosos.

Pemetrexedo (pacientes com função renal normal)

Risco de sobreposição da toxicidade com pemetrexed (diminuição da depuração renal pelos AINEs).

Monitoramento biológico da função renal.

 

Para ser Tomado em Consideração

Ácido acetilsalicílico em doses anti-agregação (50 mg a 375 mg por dia em 1 ou mais administrações)

Aumento do risco ulcerogênico e sangramento gastrointestinal.

Os glucocorticóides (exceto terapia de reposição de hidrocortisona)

Aumento do risco de úlceras e hemorragia gastrointestinal

Os agentes antiplaquetários e inibidores seletivos da recaptação da serotonina (SSRIs)

Aumento do risco de hemorragia gastrointestinal.

Heparinas não fracionada, heparina e de baixo peso molecular relacionadas (doses preventivas)

Aumento do risco de hemorragia.

Os beta-bloqueadores (exceto esmolol)

Redução do efeito anti-hipertensivo (inibição das prostaglandinas vasodilatadoras pelos AINEs e retenção de sódio com pyrazolone NSAID).

 

Deferasirox

Aumento do risco ulcerogênico e sangramento gastrointestinal.

Naproxeno sódico TEVA: Suas incompatibilidades

Não aplicável.

Se overdose

Os sinais clínicos de overdose: Sonolência, azia, indigestão, náuseas ou vômitos.

 

O que fazer:

Transferência imediata em hospitais.

A rápida evacuação do produto ingerido por lavagem gástrica.

Carvão ativado para reduzir a absorção de naproxeno.

Tratamento sintomático.

 

Gravidez – Amamentação

Gravidez

Malformação: primeiro trimestre

Nos seres humanos, nenhum efeito específico de malformação foi reportado.

No entanto, estudos adicionais são necessários para confirmar a ausência de risco.

 

(VÍDEO) Mecanismo de ação dos anti-inflamatórios esteroidais

 

Fetotoxicos e Neonatal: Segundo e Terceiro Trimestres

Esta é uma classe de toxicidade em todos os inibidores da síntese de prostaglandina.

Administração durante o segundo e terceiro trimestre exposto a:

 

Disfunção renal:

No útero pode ser observado tão cedo quanto 12 semanas de gestação (o início da diurese fetal): oligohydramnios (geralmente reversíveis com a descontinuação do tratamento) ou anamnios especialmente durante exposição prolongada.

Ao nascer, insuficiência renal (reversíveis ou não) pode persistir em particular no caso de exposição tardia e prolongada (com o risco de hipercalemia grave atraso).

 

Risco de comprometimento cardiopulmonar:

Constrição parcial ou completa no útero do canal arterial. A constrição do canal arterial pode ocorrer a partir de cinco meses de idade e pode levar à insuficiência cardíaca ou morte fetal direito fetal ou neonatal no útero.

Este risco é ainda mais importante com bebes prematuros (menos reversibilidade).

 

Se o Medicamento Ainda é Tomado

Um risco de hemorragia para mãe e filho.

 

Portanto:

Até 12 semanas de gestação: o uso de naproxeno deve ser considerada apenas se for necessário.

Entre 12 e 24 semanas de amenorreia (entre o início da diurese fetal e 5 meses de idade): um só deve ser prescrita se necessário. Ingestão prolongada é fortemente desencorajada.

Mais de 24 semanas de amenorréia (5 meses de idade): contra-indicada. Uma decisão inadvertidamente além de 24 semanas de gestação (5 meses de idade) justifica monitorização cardíaca e renal, fetal e / ou exposição neonatal de acordo com o prazo.

A duração desta monitorização poderá ser adaptada para a meia-vida da molécula.

 

Alimentação

NSAIDs pode ser passado para o leite materno, é desaconselhado o leite materno para mulheres lactantes.

 

Naproxeno Sódico TEVA Efeitos Indesejáveis

Estudos clínicos e dados epidemiológicos sugerem que o uso de alguns AINEs (particularmente quando utilizados em doses elevadas e por um longo período de tempo) pode ser associada a um pequeno aumento do risco de eventos trombóticos arteriais (por exemplo miocárdio infarto ou acidente vascular cerebral).

Os eventos adversos mais comuns são de natureza gastrointestinal. As úlceras pépticas, perfuração ou sangramento gastrointestinal, por vezes fatal, pode ocorrer especialmente nos idosos.

Náuseas, vómitos, diarreia, flatulência, obstipação, dispepsia, estomatite ulcerativa, dor abdominal, melena, hematêmese, exacerbação da colite e doença de Crohn foi relatada após a administração de AINEs. Menos frequentemente, gastrite foi observada.

Edema, hipertensão e insuficiência cardíaca têm sido relatados em associação com a terapia de NSAID.

 

Efeitos Gastrointestinais

Foram relatados distúrbios principalmente gastrointestinais, como dor epigástrica, geralmente leve ou moderada, com náuseas, vômitos, distensão abdominal, dispepsia, diarreia, obstipação, estomatite ulcerativa.

Tem sido excepcionalmente observado: úlceras, hemorragias e / ou perfuração gastrointestinal. Esta hemorragia gastrointestinal é ainda mais comum quando a dosagem utilizada é alta.

Alguns casos isolados de esofagite, colite e pancreatite foram relatados.

 

As Reações de Hipersensibilidade

Dermatológica: erupções cutâneas, urticária, urticária crônica piora, prurido.

Doenças respiratórias: asma. A ocorrência de ataque de asma em alguns indivíduos pode estar relacionados com uma alergia à aspirina ou um AINE.

Geral: angioedema, vasculite, reações anafiláticas a componentes.
Reações cutâneas

Reações de comichão, perda de cabelo, fotossensibilidade foi observada incluindo casos raros de “pseudoporphyries”.

Purpura, polyphorme eritema, erupção medicamentosa fixa, eritema nodoso e líquen plano têm sido raramente relatados.

Muito raramente foram observadas reações bolhosas (incluindo síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica).

 

Efeitos Sobre o Sistema Nervoso Central

Foram principalmente relatados: dor de cabeça, tonturas, sonolência.

Também se relatou: insônia, dificuldade de concentração, pensamento anormal, meningite asséptica.

 

Manifestações Renais

Sal e retenção de água, hipercalemia com possibilidade de edema.

Função de Insuficiência renal aguda (IRA) em pacientes com fatores de risco.

Problema renal orgânico que pode resultar em um IRA: casos isolados de nefrite intersticial, necrose tubular aguda, síndrome nefrótica, necrose papilar foram relatados.

 

Efeitos Oftálmicos

Distúrbios visuais, invulgarmente papilite, retrobulbar neurite óptica e papiledema.

 

Efeitos sobre o Aparelho Auditivo

Transtornos da Audição, especialmente zumbido.

 

Efeitos Cardiovasculares

Há relatos de edema periférico moderado, em pacientes com função cardíaca comprometida, agravamento da insuficiência cardíaca congestiva e hipertensão.

 

Efeitos sobre o Sistema Respiratório

Pneumonia eosinofílica.

 

Eventos Hematológicos

Leucopenia (principalmente granulocitopenia), trombocitopenia, anemia aplástica e anemia hemolítica.

 

Eventos Hepáticos

Alguns casos de alterações transitórias e reversíveis em testes de função hepática, icterícia, hepatite excepcionalmente graves (fatalidades um caso) foram relatados.

ATUALIZADO: 08.07.16

medico-emagecer-mulher-projeto-novo

 

>> Recomendamos Para Você:

  • MEDROL (Combate bactérias)
  • ATENOLOL (Usado no trato da pressão alta)
  • SIBUTRAMINA (Indicado para tratamento da obesidade)
  • MAXALT (Utilizado para tratar a enxaqueca)
  • BUSPAR (Medicamento de Anti-Ansiedade)
  • CIPRO (Combate bactérias)
  • CETIRIZINA (Usado no trato dos sintomas de gripes ou alergias)
  • BUPROPIONA (Usado por pessoas que desejam parar de Fumar)
  • ALPRAZOLAM (Usado no trato de transtornos de ansiedade, pânico e ansiedade)
  • DEMEROL (Tratar Dores Musculares Agudas)

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *