MINOCICLINA: Para que Serve Indicações e Efeitos Colaterais

Tudo sobre Minociclina suas Indicações e Efeitos Colaterais

Minociclina

MINOCICLINA

Minociclina é um antibiótico tetraciclina que combate bactérias no corpo.

A minociclina é usada para tratar muitas infecções bacterianas diferentes, tais como:

 

  • infecções urinárias,
  • infecções respiratórias,
  • infecções de pele,
  • acne grave,
  • gonorreia,
  • febre da carraça,
  • clamídia e outras.

 

>> Recomendamos para Você:

 

(VÍDEO) Mecanismos de Antibióticos e Resistência Bacteriana

 

(VÍDEO) Documentário “A Aventura do Antibiótico”

 

(VÍDEO) Mito ou verdade? Bebida alcoólica corta o efeito do antibiótico?

>> Informações Importantes:

Não use este medicamento se estiver grávida. Pode prejudicar o feto ou causar descoloração permanente dos dentes mais tarde na vida.

A minociclina pode fazer com que pílulas anticoncepcionais sejam menos eficazes.

Pergunte ao seu médico sobre o uso de um método não hormônico do anticoncepcional (tais como preservativos, diafragma, espermicida) para evitar a gravidez durante o uso.

A minociclina passa para o leite materno e pode afetar ossos e desenvolvimento dos dentes. Não tome este medicamento sem informar o seu médico se você está amamentando um bebê.

Crianças não devem tomar este medicamento. A minociclina pode causar amarelecimento permanente ou acinzentamento dos dentes em crianças menores de 8 anos de idade.

Evitar a exposição à luz solar ou camas de bronzeamento. A minociclina pode fazer você se queimar com mais facilidade. Use roupas de proteção e use protetor solar quando estiver ao ar livre.

Não tome suplementos de ferro, multivitaminas, suplementos de cálcio, antiácidos, laxantes dentro de 2 horas, antes ou depois de tomar a minociclina. Estes produtos podem fazer minociclina menos eficaz.

Tome este medicamento pelo período prescrito completo de tempo. Seus sintomas podem melhorar antes que a infecção esteja completamente apagada.

Pular doses pode também aumentar o risco de uma nova infecção que seja resistente a antibióticos.

Jogue fora qualquer medicamento após a data de validade vencida.

 

>> Efeitos Secundários:

Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de uma reação alérgica a minociclina: urticária; dificuldade em respirar; inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Chame o seu médico imediatamente se tiver um efeito colateral grave, tais como:

– Cólicas de estômago, diarreia (aguada ou com sangue);
– Sintomas de gripe, feridas na boca e garganta;
– Pele pálida ou amarelada, fraqueza, urina de cor escura, hemorragia (nariz, boca, vagina ou reto), manchas roxas ou vermelhas sob a pele;
– Febre, erupções cutâneas, hematomas, formigamento ou dormência grave, fraqueza muscular,
– Dor no estômago, perda de apetite, icterícia (amarelamento da pele ou olhos);
– Dor no peito, ritmo cardíaco irregular, tosse, chiado, falta de ar;
– Confusão, vômitos, inchaço, ganho de peso, urinar menos que o habitual;
– Dor de cabeça ou dor atrás dos olhos, zumbido nos ouvidos, problemas de visão;
– Dor nas articulações ou inchaço com febre, gânglios inchados, dores musculares, mal-estar geral, pensamentos incomuns ou convulsões;
– Reação cutânea grave – febre, dor de garganta, inchaço no rosto ou língua, ardor nos olhos, dor de pele, seguida por uma erupção cutânea vermelha ou roxa que se espalha (especialmente no rosto ou corpo) e provoca bolhas e descamação.

 

>> Efeitos Menos Graves:

Tonturas, sensação de cansaço, sensação de girar;
Dores articulares ou musculares;
– Descoloração da pele ou unhas;
– Náusea leve, leve diarreia, dor de estômago;
– Erupção cutânea leve ou coceira;
– Língua inchada, descoloração da gengiva;
– Comichão ou corrimento vaginal.

 

>> Como devo Tomar Minociclina?

Tome minociclina exatamente como prescrito pelo seu médico. Não tome em quantidades maiores ou menores ou por mais tempo do que o recomendado. Siga as instruções na etiqueta da prescrição BULA.

Tome este medicamento com um copo cheio 300 ml de água. A maioria das marcas de minociclina pode ser tomada com ou sem alimentos.

Tome Minocin (cápsulas cheias de pelotização) com o estômago vazio, pelo menos 1 hora antes ou 2 horas após uma refeição.

Tome minociclina para no tempo total prescrito. Seus sintomas podem melhorar antes que a infecção esteja completamente apagada.

Pular doses pode também aumentar o risco de uma nova infecção que é resistente a antibióticos. A minociclina não vai tratar uma infecção viral, como o resfriado comum ou gripe.

Para ter certeza de que este medicamento não está causando efeitos nocivos, você terá de fazer exames de sangue frequentemente. A sua função renal, fígado, tireoide também pode precisar ser testada. Visite o seu médico regularmente.

Se você precisar de cirurgia, diga o cirurgião bem antes do tempo que você está usando a minociclina. Você pode precisar parar de usar o medicamento por um curto período de tempo.

A minociclina pode causar resultados falsos com certos testes de urina.

Conservar a Minociclina à temperatura ambiente longe da umidade, calor e luz.

 

Minociclina

Nome genérico: minociclina (mye não kleen SYE) Nomes de Marcas: Dynacin,

Minocin, Minocin PAC, Solodyn, Vectrin, Myrac

 

O que é Minociclina?

A minociclina é um antibiótico tetraciclina que combate bactérias no corpo.

Minociclina é utilizado para tratar muitas infecções bacterianas diferentes, tais como infecções do trato urinário, infecções respiratórias, infecções de pele, acne grave, gonorreia, febre da carraça, clamídia e outras.

Minociclina também pode ser usado para fins não listados neste guia de medicação.

 

(VÍDEO) Como Curar Infecção Urinária Naturalmente sem Antibiótico

 

Informação Importante

Não use minociclina se estiver grávida.

Pode prejudicar o feto ou causar descoloração permanente dos dentes ao longo da vida.

Minociclina pode fazer com que as pílulas anticoncepcionais sejam menos eficazes.

Pergunte ao seu médico sobre o uso de um método não hormonal de controle de natalidade (como um preservativo, diafragma, espermicida) para evitar a gravidez durante o uso deste medicamento.

Minociclina passa para o leite materno e pode afetar desenvolvimento ósseo e dentário em um bebê de enfermagem.

Não tome este medicamento sem informar o seu médico que você está em período de amamentação.

As crianças não devem tomar este medicamento.

Minociclina pode fazer com que os dentes de crianças menores de 8 anos de idade amarelem ou acinzentem.

Não tome suplementos de ferro, multivitaminas, suplementos de cálcio, antiácidos ou laxantes dentro de 2 horas antes ou depois de tomar minociclina.

Estes produtos podem fazer com que o medicamento seja menos eficaz.

Não utilize medicamentos após sua data de validade contida no rótulo.

Usar minociclina expirado pode causar danos aos rins.

 

Antes de Tomar Este Medicamento

Você não deve tomar este medicamento caso seja alérgico a minociclina ou aos antibióticos similares, tais como demeclocycline, doxiciclina ou tetraciclina.

Se você estiver usando minociclina para tratar a gonorreia, o médico pode testá-lo para certificar-se que você também não tem sífilis ou outra doença sexualmente transmissível.

Para se certificar de que a minociclina é segura para você, informe o seu médico se tiver:

Doença hepática;
• Doença renal; ou
Asma ou alergia sulfito.

Você não deve usar minociclina se estiver grávida.

Pode prejudicar o feto ou causar descoloração permanente dos dentes ao longo da vida.

Informe o seu médico imediatamente se ficar grávida durante o tratamento.

 

Como devo tomar minociclina?

Tome minociclina exatamente como prescrito pelo seu médico.

Siga todas as instruções contidas na bula.

Não tome este medicamento em quantidades maiores ou menores ou por mais tempo do que o recomendado.

Tome este medicamento com um copo cheio de água.

Pode tomar minociclina com ou sem alimentos.

Não esmague, mastigue, ou quebre um comprimido de libertação prolongada.

Engoli-lo inteiro.

Utilize este medicamento durante todo o período estabelecido.

Seus sintomas podem melhorar antes que a infecção suma por completo.
Ignorar doses podem também aumentar o risco de novas infecções que é resistente a antibióticos.

Minociclina não irá tratar uma infecção viral, como a gripe ou um resfriado comum.

Se você utilizar este medicamento em longo prazo, podem ser necessários exames médicos frequentes.

Este medicamento pode causar resultados incomuns com certos testes médicos.

Diga a qualquer médico que a consulte que você está usando minociclina.

Armazenar em temperatura ambiente longe da humidade, calor e luz.

Jogue fora qualquer minociclina não utilizada antes da data de validade indicada no medicamento.

Usar minociclina vencida pode causar danos aos rins.

Informações dosagem minociclina

Dose usual para adultos para Acne:

Formulações de libertação imediata:

Dose inicial: 50 a 100 mg por via oral duas vezes por dia durante 3 a 6 semanas ou até ocorrer melhoria

Dose de manutenção: de 50 a 100 mg por via oral uma vez por dia.

Comprimidos de libertação prolongada:

• 45 a 49 kg: 45 mg por via oral uma vez um dia.
• De 50 a 59 kg: 55 mg por via oral uma vez ao dia
• De 60 a 71 kg: 65 mg por via oral uma vez por dia.
• De 72 a 84 kg: 80 mg por via oral uma vez ao dia.
• De 85 a 96 kg: 90 mg por via oral uma vez por dia.
• De 97 a 110 kg : 105 mg por via oral uma vez por dia.
• De 111 a 125 kg: 115 mg por via oral uma vez por dia
• De 126 a 136 kg: 135 mg por via oral uma vez ao dia.

Duração: 12 semanas.

Dose usual para adultos para Actinomicose:

100 mg por via oral ou IV a cada 12 horas.

Duração: terapia parenteral inicial para 2 a 6 semanas, seguido por terapia oral para uma duração total de 6 a 12 meses .

A resposta clínica deve ser monitorada por tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Dose usual para adultos para a Infecção bacteriana:

Oral: 200 mg inicialmente, seguido de 100 mg por via oral a cada 12 horas;

Alternativamente, de 100 a 200 mg, inicialmente, seguido por 50 mg oralmente 4 vezes por dia conforme tem sido usado;

IV: 200 mg inicialmente, seguido por 100 mg por via intravenosa a cada 12 horas (dose máxima: 400 mg / 24 horas).

 

Dose Usual para Adultos para a Meningite – Meningocócica:

Eliminação de Neisseria meningitidis – estado de portador: 100 mg por via oral a cada 12 horas, durante 5 dias;

Rifampicina, ciprofloxacina ou ceftriaxona são considerados agentes de primeira linha.

Dose usual para adultos para a pele ou infecção dos tecidos moles:

Mycobacterium marinum: 100 mg por via oral ou IV a cada 12 horas durante pelo menos 3 meses;

Vibrio vulnificus: 100 mg IV ou via oral a cada 12 horas mais cefotaxima 2 g IV a cada 8 horas ou ceftazidima 1 a 2 g IV a cada 8 horas

Dose usual para adultos para a pele e estrutura de infecção Mycobacterium marinum: 100 mg por via oral ou IV a cada 12 horas durante pelo menos 3 meses;

Vibrio vulnificus: 100 mg IV ou via oral a cada 12 horas mais cefotaxima 2 g IV a cada 8 horas ou ceftazidima 1 a 2 g IV a cada 8 horas

Dose pediátrica usual para Acne:

12 anos ou mais velhos:

Comprimidos de liberação prolongada:

• 45 a 49 kg: 45 mg por via oral uma vez ao dia;
• De 50 a 59 kg: 55 mg por via oral uma vez por dia;
• De 60 a 71 kg: 65 mg por via oral uma vez por dia;
• De 72 a 84 kg: 80 mg por via oral uma vez por dia;
• De 85 a 96 kg: 90 mg por via oral uma vez por dia;
• De 97 a 110 kg: 105 mg por via oral uma vez por dia;
• De 111 a 125 kg: 115 mg por via oral uma vez por dia;
• De 126 a 136 kg: 135 mg por via oral uma vez por dia.

Duração: 12 semanas.

Dose pediátrica usual para infecção bacteriana:

Acima de 8 anos de idade: 4 mg / kg por via oral ou IV, inicialmente, seguido de 2 mg / kg a cada 12 horas.

A dose de adulto, não deve ser excedida.

O que acontece se eu esquecer uma dose?

Tome a dose esquecida assim que se lembrar. Pule a dose se for quase hora da sua próxima dose. Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.

 

(VÍDEO) ANTIBIÓTICOS GENERALIDADES

 

O que Acontece se eu Tomar Doses a Mais?

Procurar atendimento médico de emergência ou ligue para a linha de veneno Ajuda 1-800-222-1222.

Os sintomas de overdose podem incluir tonturas, náuseas ou vómitos.

O que devo evitar quando tomar minociclina?

Este medicamento pode afetar o seu pensamento ou reações. Tenha cuidado ao dirigir ou fazer qualquer coisa que exija que você esteja alerta.

Medicamentos antibióticos podem causar diarreia, que pode ser um sinal de uma nova infecção.

Se tiver diarreia que é aquosa ou sanguinolenta, chame seu médico.

Não use medicamento anti-diarreia, a menos que o seu médico lhe indique.

Evitar a exposição à luz solar ou camas de bronzeamento. Minociclina pode fazer você se queimar mais facilmente.

Usar roupas protetoras e usar protetor solar (FPS 30 ou superior) quando estiver ao ar livre.

Durante 2 horas antes ou depois de tomar minociclina, evitar tomar antiácidos, laxantes, multivitaminas, ou suplementos que contêm cálcio ou ferro.

Estes medicamentos podem dificultar a absorção da minociclina ao seu corpo.

 

Efeitos Secundários de Minociclina

Obtenha ajuda médica de emergência se tiver sinais de uma reação alérgica a minociclina: urticária; dificuldade em respirar; inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Chame o seu médico imediatamente se tiver:

• Problemas renais
• Pouco ou nenhuma urina
• Dor ou dificuldade ao urinar
• Inchaço nos pés e tornozelos
• Sensação de cansaço ou falta de ar
• Problemas no fígado ou pâncreas
• Náuseas, vómitos
Dor de estômago superior que pode se espalhar para as costas
• Sensação de cansaço
• Perda de apetite
• Urina escura
• Fezes cor de argila
• Icterícia (amarelamento da pele ou olhos);
• Aumento da pressão dentro do crânio
• Fortes dores de cabeça
• Zumbido nos ouvidos
• Tonturas
• Problemas de visão
• Dor atrás dos olhos
• Sinais de inflamação em seu corpo
• Glândulas inchadas
• Sintomas de gripe
• Ferimento ou sangramento fácil
• Formigamento grave ou dormência
• Fraqueza muscular
• Dor torácica
• Tosse ou agravamento de febre
• Dificuldade para respirar
• Reação grave da pele
• Febre
• Dor de garganta
• Inchaço em seu rosto ou língua
• Ardor nos olhos
• Dor na pele
• Seguido por uma erupção cutânea vermelha ou roxa que se espalhem (especialmente no rosto ou parte superior do corpo) e causas bolhas e descamação.

Efeitos secundários comuns de minociclina podem incluir:

• Náuseas
Diarreia
• Perda de apetite;
• Tonturas
• Dor de cabeça;
• Língua inchada
Tosse
• Deglutição problemas;
Dores musculares ou articulares;
• Erupção cutânea
• Descoloração da pele.

Esta não é uma lista completa dos efeitos secundários e outros podem ocorrer.

Ligue para o seu médico para aconselhamento médico sobre efeitos secundários.

Você pode reportar efeitos secundários ao FDA em 1-800-FDA-1088.

 

Que Outras Drogas Afetarão Minociclina?

Informe o seu médico sobre todos os seus medicamentos atuais e qualquer outro que você iniciar ou parar de usar, especialmente:

• Isotretinoína
• Antibiótico penicilina
Amoxicilina
• Ampicilina
• Dicloxacilina
• Oxacilina
• Penicilina
• Ticarcilina
• Amoxil
• Moxatag
• Augmentin
• Principen
• Sangue mais fino
• Varfarina
• Coumadin
• Jantoven
• Cravagem medicina
• Dihidroergotamina
• Ergotamina
• Ergonovina
• Metilergonovina.

Esta lista não está completa.

Outros medicamentos podem interagir com minociclina, incluindo prescrição de medicamentos, vitaminas e produtos naturais.

Nem todas as interações possíveis estão listadas neste guia medicação.

 

EFEITOS SECUNDÁRIOS

Resumo

Efeitos colaterais comumente relatados de minociclina incluem: dor de cabeça.

Outros efeitos secundários incluem: candidíase vulvovaginal, dor epigástrica, disfagia, melanoglossia, tonturas, dor de garganta, diarreia, náuseas e vómitos, estomatite e anorexia.

Veja abaixo uma lista completa de efeitos adversos.

 

Para o Consumidor

Aplica-se a minociclina: cápsula oral, cápsula de libertação oral prolongado, suspensão oral, comprimido oral, liberação comprimido oral estendida.

Outras formas de dosagem:

Em forma de pó para solução intravenosa.

Em adição aos seus efeitos necessários, alguns efeitos indesejados podem ser causados pela minociclina.

Caso algum destes efeitos secundários ocorra, eles podem exigir atenção médica.

 

Gravidade: Maior

Você deve verificar com o seu médico imediatamente se algum destes efeitos secundários ocorre quando toma minociclina:

Incidência desconhecida:

• Fezes negras
• Bolhas, descamação ou afrouxamento da pele.
Sangue na urina ou fezes;
• Visão turva ou dupla;
• Abaulamento fraquinho na cabeça de uma criança
Dor no peito, possivelmente, movendo-se para o braço esquerdo, pescoço ou ombro
• Confusão
• Diarréia
• Tonturas ou vertigens
• Dor nos olhos
• Batimento cardíaco rápido
• Sentimento geral de desconforto ou doença
• Cansaço geral e fraqueza
• Urticária, coceira ou erupção cutânea
• Dor nos músculos ou articulações
• Grande, colmeia-como inchaço na face, pálpebras, lábios, língua, garganta, mãos, pernas, pés ou órgãos sexuais
• Perda de apetite
• Náuseas ou vómitos
• Lesões vermelhas na pele, muitas vezes com um centro roxo
• Dor de cabeça severa
• Dor de estômago grave
• Feridas, úlceras ou manchas brancas nos lábios ou na boca
• Respiração agitada
• Hemorragia ou nódoas negras
• Dor abdominal ou de estômago superior direito
• Olhos e pele amarelados

 

Gravidade: Menor

Alguns dos efeitos colaterais que podem ocorrer com minociclina podem não precisar de cuidados médicos.

Como seu corpo se ajusta ao medicamento durante o tratamento, estes efeitos secundários podem desaparecer.

O seu médico também pode auxiliar para evitar ou reduzir alguns destes efeitos colaterais.

Se algum dos seguintes efeitos secundários continua, são incómodos ou você tem dúvidas sobre eles, consulte seu médico:

Menos comum:

• Continuando toque ou zumbido ou outros ruídos inexplicáveis nas orelhas;
• Dificuldade com movimento;
• Perda de audição;
• Urticária ou vergões;
• Rigidez muscular;
• Vermelhidão da pele;
• Sono ou sonolência incomum;
Incidência desconhecida:
Inchaço;
• Descoloração do dente;
• Aumento da sensibilidade da pele à luz solar;
• Indigestão;
• Queimaduras graves;

Para profissionais de saúde

Aplica-se a minociclina: pó intravenoso para injecção, cápsula oral, suspensão oral, comprimido oral, comprimido de libertação oral prolongado, oral e tópica kit.

 

(VÍDEO) Bactéria e vírus: qual a diferença?

 

Gastrointestinal

Pancreatite tem sido raramente relatada em associação com o uso de minociclina.

Dois relatos de casos de pacientes com fibrose cística que tiveram pancreatite durante o tratamento com minociclina para exacerbações bacterianas agudas de doença respiratória foram publicados na literatura médica.

Os autores sugeriram que os pacientes com fibrose cística, como resultado do processo da doença, podem ser mais suscetíveis à pancreatite induzida por drogas.

Além disso, em pelo menos um caso, vários medicamentos estavam sendo utilizados juntos; portanto, uma relação temporal entre minociclina e pancreatite não pôde ser comprovada de forma conclusiva.

Esofagite e ulcerações esofágicas foram relatadas em pacientes que tomaram as cápsulas ou comprimidas formulações de antibióticos de tetraciclina classe.

A maioria destes pacientes tomou a droga imediatamente antes de ir para a cama.

Os efeitos colaterais gastrointestinais incluem:

Cólicas
• Anorexia
Diarreia
• Dispepsia
• Disfagia
• Hipoplasia do esmalte
• Enterocolite
• Esofagite
Úlceras esofágicas
• Glossite
• Náuseas
• Cavidade oral abdominal e descoloração dos dentes
• Lesões inflamatórias (com supercrescimento monilial) nas regiões orais e anogenital
Pancreatite
• Colite pseudomembranosa
• Estomatite
• Vómitos e boca seca.

Sistema Nervoso

Efeitos secundários do sistema nervoso incluíram convulsões, cefaleias, hiperestesia, parestesia, sedação, reações vestibulares, incluindo tonturas e vertigens.

Diminuição da audição, zumbido, hipertensão intracraniana benigna (pseudotumor cerebral) em adultos, e fontanelas protuberantes em crianças têm sido relatados.

 

Hepático

Efeitos colaterais hepáticos têm incluído hiperbilirrubinemia, colestase hepática, aumento das enzimas hepáticas, insuficiência hepática fatal, icterícia, hepatite (incluindo hepatite auto-imune), e insuficiência hepática.

Em um caso relatado, a paciente desenvolveu rapidamente progressiva insuficiência hepática após quatro semanas de tratamento minociclina para acne.

A paciente havia interrompido a medicação duas semanas antes do início do mal-estar.

O transplante de fígado foi considerado, embora a paciente tenha o recuperado lentamente, sem intervenção significativa.

Outro relato de disfunção hepática progressiva imunologicamente mediada tem ocorrido raramente.

Em um caso, o paciente recebeu um transplante de fígado após a falha hepática fulminante, que foi prescrito para ser relacionada com uma terapia de minociclina diaria para tratar a acne por três anos.

A dose de minociclina variou de 50 mg a 200 mg por dia.

Um segundo paciente vinha recebendo terapia minociclina para tratar a acne durante 1 ano apenas antes de procurar atendimento médico para uma síndrome “gripal”.

Após a internação, foi determinado que o paciente estivesse passando por uma hepatite mediada por autoimune, mais provavelmente relacionada com minociclina.

A resolução dos sintomas ocorreu em ambos os casos após a terapia minociclina foi interrompido e cada paciente tinha recebido cuidados médicos de suporte adequado.

 

Hipersensibilidade

Infiltrados pulmonares, suores noturnos, febre e eosinofilia têm se desenvolvido em vários pacientes que utilizaram minociclina.

Estes efeitos também foram considerados devido à hipersensibilidade a minociclina.

Relatos de casos descreveram uma síndrome nervosa central pulmonar grave do sistema hipersensibilidade, exigindo tratamento com corticosteróides em altas doses.

Os sinais e sintomas incluem

Tosse seca
• Febre
• Ataxia
• Fraqueza muscular
• Dormência
• Alterações visuais
• Ressonância magnética cerebral anormal
• Convulsões
• Infiltrações pulmonares
• Elevação dos níveis séricos de IgE e de sedimentação de eritrócitos taxa
• Eosinofilia.

Pneumonia eosinofílica com redicivante de insuficiência respiratória aguda com necessidade de ventilação mecânica e corticosteróides tem sido relatada em uma mulher de 54 anos de idade.

Os sintomas iniciais incluíram tosse seca, febre baixa, fadiga e dispneia.

Eosinofilia, leucócitos elevadas, e a proteína C-reactiva foram anotados.

Catorze dias depois de ser descarregada e retomar minociclina, a paciente evoluiu para nsuficiência respiratória rapidamente progressiva novamente com necessidade de ventilação mecânica.

Febre medicamentosa tardia (associada com febre, dor de garganta, dor abdominal, fraqueza, sangue nas fezes soltas, fadiga, perda de peso de 40 quilos, ESR 99 mm / h, CRP de 5,0 mg / dL e aumentos ligeiros em enzimas do fígado).

Tem sido relatada em um menino de 15 anos de idade, após 24 meses de tratamento de minociclina para acne.

Outro caso de febre medicamentosa tardia ocorreu após 1 ano de tratamento.

Em outros casos desta febre, ocorreu em sua maioria após 2 a 4 semanas de exposição minociclina relatada.

Efeitos colaterais de hipersensibilidade:

• Anafilactóide púrpura
• Reação anafilactóide (incluindo choque e morte) erupções fixas de drogas
Edema angioneurótico
• Vasculite auto-imune
• Febre medicamentosa
• Pneumonite eosinofílica
• Eritema multiforme
Hepatite
• Síndrome semelhante ao lúpus
• Miocardite
• Pericardite
• Poliartralgia
• Infiltrados pulmonares com eosinofilia
• Rabdomiólise
• Doença do soro
• As reações semelhantes à doença do soro
• Sindrome de Stevens-Johnson
• Urticária e síndrome nervosas centrais pulmonares graves do sistema de hipersensibilidade.

Erupção cutânea medicamentosa com eosinofilia e sintomas sistémicos (DRESS), incluindo casos fatais, têm sido relatados.

A síndrome DRESS com miocardite persistente tem sido relatada em pelo menos 3 casos. Síndrome de hipersensibilidade (consistindo de reação cutânea, tais como prurido ou dermatite esfoliativa, eosinofilia, e um ou mais dos seguintes procedimentos: hepatite, pneumonite, nefrite, miocardite, pericardite) tem sido relatada.

Febre e linfadenopatia podem estar presentes com síndrome de hipersensibilidade.

A morte foi relatada em alguns casos envolvendo síndrome de hipersensibilidade.

 

(VÍDEO) O que são superbactérias?

 

Imunológicos

Efeitos colaterais imunológicas:

• Títulos positivos de anticorpos anticitoplasma de neutrófilos (ANCA)
• Exacerbação de lúpus sistêmico
• Poliarterite nodosa
• Glomerulonefrite crescente ANCA-positivo
• Vasculite ANCA-positivo e hepatite autoimune.

Casos raros de vasculite necrotizante e reações sistêmicas têm sido relatados.
Síndrome semelhante ao lúpus (consistindo de anticorpos antinucleares positivos, artralgia, artrite, rigidez articular, ou inchaço das articulações, e um ou mais dos seguintes: febre, mialgia, hepatite, erupção cutânea e vasculite) tem sido relatada.

Síndrome da doença do soro (consistindo de febre, urticária ou erupção cutânea; e artralgia, artrite, rigidez articular, ou inchaço das articulações) tem sido relatada.

Eosinofilia pode estar presente na síndrome semelhante à doença do soro. A morte foi relatada em alguns casos envolvendo essas síndromes.

Reações do tipo lúpus induzida por minociclina têm comumente apresentados com artralgia ou artrite, mialgia ou mal-estar e título ANA positiva.

Os pacientes com anticorpos anti-dsDNA altamente positivos têm sido raramente relatada.

Todos os pacientes se recuperaram após a descontinuação da droga.

No entanto, vários apresentaram curtos cursos de corticosteróides.

Relatos de casos raros de efeitos secundários imunológicos adicionais incluíram vasculite necrosante e reações sistêmicas caracterizadas por linfadenopatia, eosinofilia, aumento dos níveis de enzimas de função hepática e envolvimento dermatológico.

Em cada caso, o uso da minociclina foi descontinuo e, em alguns casos, a terapia com corticosteróide foi necessária para auxiliar na resolução dos sintomas.

 

Dermatológica

Efeitos colaterais dermatológicas:

• Prurida
• Alopecia
• Eritema multiforme
• Eritema nodoso
Dermatite esfoliativa
• Erupções fixas de drogas
• Erupções maculopapulares e eritematosas
• fotossensibilidade
síndrome de Stevens-Johnson
• necrólise epidérmica tóxica
• Lesões na glande do pênis
• Vasculite.
• Pigmentação marrom ou preto-azulada da pele em ossos, membranas mucosas, dentes, língua, unhas, e nas estruturas de órgãos internos também foram relatadas.

Minociclina raramente tem sido associada à síndrome de Sweet (dermatose neutrofílica febril aguda).

Biópsias de tecidos pigmentados mostraram grânulos dentro das células que manchadas positivo para ferro.

Esta pigmentação pode desaparecer com o tempo após o término do uso da droga.

Há também relatos de casos que foram encontradas pigmentação da mucosa associada ao uso de minociclina.

 

Musculoskeletal

Miopatia aguda grave associada à via oral minociclina 100 mg/dia ocorreu em um homem de 17 anos de idade, depois de exercício extenuante.

Seus valores laboratoriais foram:

• Taxa de sedimentação de eritrócitos, 33 mm/h;
• Proteína C-reactiva, 0,84 mg/dL;
• Creatina quinase, 87,297 unidades/L;
• AST, 1,307 unidades/L;
• ALT, 311 unidades/L;
• Desidrogenase de lactato, 4935 unidades/L;
• Aldolase 12,6 unidades/L;
• Fosfatase alcalina, 145 unidades/L;
• GGT, 66 unidades/L.

As enzimas musculares foram normalizadas e seus sintomas desapareceram um mês após a minociclina ser interrompida.

Minociclina intravenosa além de quinupristina-dalfopristina foram associadas com mialgia e artralgia em 36% dos pacientes com câncer neutropênicos (n = 56).

Efeitos secundários osteomusculares:

• Artralgia
Artrite
• Descoloração óssea
• Descoloração nas articulações
• Rigidez nas articulações
• Inchaço das articulações
• Mialgia
Miopatia
• Rabdomiólise associada à hipersensibilidade.
• Renal

Efeitos colaterais renais incluíram maior BUN, nefrite intersticial e insuficiência renal aguda.

Altos níveis séricos das tetraciclinas têm sido associados com azotemia, hiperfosfatemia e acidose em pacientes com insuficiência renal.

 

Hematológica

Efeitos colaterais hematológicas incluíram antineutrophil anticorpo citoplasmático (ANCA) vasculite-positivo, e eosinofilia.

As tetraciclinas têm sido associadas com a anemia hemolítica, trombocitopenia, neutropenia, agranulocitose, leucopenia, e pancitopenia.

De outros

Outros efeitos colaterais associados com as tetraciclinas têm incluído fadiga, mal-estar, sonolência, febre, e descoloração das secreções.

 

Respiratório

Efeitos colaterais respiratórios incluíram pneumonia de hipersensibilidade, lúpus pulmonar, pneumonia eosinofílica, derrames pleurais e reincidente insuficiência respiratória aguda.

As tetraciclinas têm sido associadas com a tosse, dispneia, broncoespasmo, pneumonia, e exacerbação de asma.

 

Oncológica

Efeitos colaterais oncológicos incluíram câncer de tireoide papilar.

O câncer de tireoide também foi relatado durante a experiência pós-comercialização.

 

Endócrino

Efeitos colaterais no sistema endócrino incluíram uma condição caracterizada por pigmentação escura (descoloração microscópicas castanho-pretos) da glândula tireoide.

No entanto, não havia nenhuma evidência clínica ou laboratorial de disfunção da tireoide.

As implicações clínicas desta pigmentação são desconhecidas.

A função da tireoide anormal foi relatada.

 

(VÍDEO) Os antibióticos

 

Geniturinário

Efeitos colaterais geniturinárias incluíram balanitis (devido a lesões na glande) e vulvovaginites.

Minociclina pode ter efeitos prejudiciais sobre a espermatogênese de acordo com estudos preliminares.

 

Local

Os efeitos locais incluídos foram eritema e dor no local da injeção.

 

Psiquiátrico

Efeitos colaterais psiquiátricos incluíram alteração de humor.

 

Ocular

Efeitos colaterais oculares incluem relatos de casos de pigmentação escleral cinza e pigmentação macular em pacientes idosos após o uso minociclina crônica (5 a 12 anos).

 

Referências

Nem todos os efeitos secundários para a minociclina pode ser relatado.

Você deve sempre consultar um médico ou profissional de saúde para aconselhamento médico.

Os efeitos secundários podem ser relatados ao FDA.

 

Dosagem

Informação geral sobre a dosagem:

Minociclina (suspensão oral, cápsula oral, comprimido oral, comprimido oral, de libertação prolongada, o pó intravenosa para injeção, kit oral e tópica)

Por favor, confirme se as formas de medicação sobre o documento(s) de dosagem acima são relevantes para a droga específica que você está interessado.

 

Arestin

Nome genérico: cloridrato de minociclina.

Forma de Dosagem: pó oral.

DESCRIÇÃO

Arestin ® (cloridrato de minociclina) Microesferas é um produto de liberação sustentada subgengival contendo o cloridrato de minociclina antibiótico incorporado num polímero bioabsorvível, poli (glicolido-co-DL-lactido) ou PGLA, para administração subgengival profissional em bolsas periodontais.

Cada cartucho de dose unitária proporciona cloridrato de minociclina equivalente a 1 mg de base livre de minociclina.

A fórmula molecular de cloridrato de minociclina é C 23 H 27 N 3 O 7 ● HCl, e o peso molecular é 493,94. A fórmula estrutural de cloridrato de minociclina é:

 

Arestin – Farmacologia Clínica

Mecanismo de ação

O mecanismo de acção de Arestin ® como um adjunto à raspagem e alisamento radicular são procedimentos para a redução da profundidade da bolsa em pacientes com periodontite, em adulto é desconhecido.

 

Microbiologia

Minociclina, um membro da classe de tetraciclina de antibióticos, tem um largo espectro de atividade.

É bacteriostática e exerce a sua atividade antimicrobiana através da inibição da síntese de proteínas.

Testes in vitro de suscetibilidade mostraram que os organismos

Porphyromonas gingivalis, Prevotella intermedia, Fusobacterium nucleatum, Eikenella corrodens, e Actinobacillus actinomycetemcomitans estão associados com a doença periodontal.

A minociclina são sensíveis a concentrações de ≤8 mcg/ml²; mudanças qualitativas e quantitativas em microrganismos de placa não foram demonstrados em pacientes com periodontite usando este produto.

O aparecimento de bactérias minociclina resistentes em amostras de placas isoladas foi estudada em indivíduos antes e após o tratamento com Arestin ® em 2 centros.

Houve um ligeiro aumento no número de bactérias resistentes a minociclina no final do período de estudo de 9 meses, no entanto, o número de indivíduos estudados foi pequeno e a importância clínica destes resultados é desconhecida.

O aparecimento de bactérias resistentes à minociclina e alterações na presença de Candida albicans e Staphylococcus aureus no trato gastrintestinal foram estudados em indivíduos tratados com Arestin ® em uma fase 3 do estudo.

Não há alterações na presença de bactérias resistentes de minociclina ou C. albicans ou de S. aureus, que foram observados no final do período de estudo de 56 dias.

 

Farmacocinética

Num estudo farmacocinético, 18 pacientes (10 homens e 8 mulheres) com periodontite moderada, crônica e avançadas foram tratados com uma dose média de 46,2 mg (25 a 112 doses unitárias) de Arestin ®.

Após jejum de pelo menos 10 horas, os pacientes receberam aplicação subgengival de Arestin ® (1 mg por local de tratamento) após raspagem e alisamento radicular em um mínimo de 30 locais em pelo menos 8 dentes.

A Investigação da droga foi administrada a todos os lugares elegíveis ≥ 5 mm de profundidade de sondagem.

A dose média de AUC e Cmax normalizada de saliva foi encontrada como sendo de aproximadamente 125 e 1000 vezes superior aos dos parâmetros do soro, respectivamente.

 

Estudos Clínicos

Em 2 multicêntricos bem controlados, estudos de investigador-cego, controlado por veículo paralelo de design (3 braços), 748 pacientes (estudo OPI-103A = 368, estudar OPI-103B = 380).

Com generalizadamente, periodontites adultas de moderadas a avançadas, caracterizada por uma profundidade de sondagem média de 5,90 e 5,81 mm, respectivamente, foram inscritos.

Os indivíduos receberam 1 de 3 tratamentos: raspagem e alisamento radicular,raspagem e alisamento radicular + veículo (polímero bioabsorvível, PGLA), e raspagem e alisamento radicular + Arestin ® .

Para se qualificar para o estudo, os pacientes foram obrigados a ter 4 dentes com bolsas periodontais de 6 a 9 milímetros que sangrassem à sondagem.

No entanto, o tratamento foi administrado a todos os locais com profundidades médias de sondagem ou superior a 5 mm.

Os pacientes estudados estavam em bom estado de saúde geral.

Os pacientes com controle glicêmico inadequado ou doenças infecciosas ativas foram excluídos dos estudos.

Retratamento ocorreu aos 3 e 6 meses após o tratamento inicial, e os novos lugares com bolsa de profundidade ≥5 mm também recebeu tratamento.

Os doentes tratados com Arestin ® obtiveram estatisticamente uma reduzida significante na profundidade de sondagem em comparação com os tratados com SRP sozinho ou RAR + veículo aos 9 meses após o tratamento inicial.

Nestes 2 estudos, uma média de 29,5 (5-114), 31,7 (4-137), e 31 (5-108) situações foram tratadas no início do estudo no SRP sozinho, SRP + veículo e SRP + Arestin ® grupos, respectivamente.

Quando estes estudos são combinados, a mudança da profundidade da bolsa na média de 9 meses foi de -1,18 mm, -1,10 mm, e -1,42 mm para SRP sozinho, SRP + veículo e SRP + Arestin ® , respectivamente.

SRP + Arestin ® resultou em um maior percentual de bolsas que mostram uma mudança de PD ≥2 mm e ≥ 3 mm em relação ao SRP sozinho em 9 meses.

Em ambos os estudos, os seguintes subgrupos de pacientes foram prospectivamente analisados: fumantes, doentes com mais e menos de 50 anos de idade, e pacientes com história prévia de doença cardiovascular.

Em fumantes, a redução média na profundidade de bolsa em 9 meses foi menor em todos os grupos de tratamento do que em não-fumantes.

Mas a redução da profundidade da bolsa média de 9 meses com SRP + Arestin ® foi significativamente maior do que com SRP + veículo ou SRP sozinho.

Os dados combinados destes 2 estudos também mostram que, para bolsas de 5 mm a 7 mm na linha de base, maiores reduções na profundidade da bolsa ocorreu em bolsas que tinham mais profundidade no início do estudo.

 

INDICAÇÕES E USO

Arestin ® é indicado como adjuvante à raspagem e alisamento radicular em procedimentos para a redução da profundidade da bolsa em pacientes com periodontite do adulto.

Arestin ® pode ser utilizado como parte de um programa de manutenção periodontal que inclui uma boa higiene oral e raspagem e alisamento radicular.

 

(VÍDEO) Amoxicilina

 

CONTRAINDICAÇÕES

Arestin ® não deve ser utilizada em qualquer paciente que tem uma sensibilidade a minociclina ou tetraciclinas.

 

AVISOS

O uso de drogas da classe das tetraciclinas durante o desenvolvimento dentário (última metade da gravidez, infância e infância até a idade de 8 anos), podem causar a descoloração PERMANENTE DOS DENTES (amarelo-marrom cinzento).

Esta é reação adversa mais comum durante a utilização em longo prazo de drogas, mas tem sido observado após ciclos repetidos de curto prazo.

 

Hipoplasia do Esmalte foi Também Relatada

Tetraciclina é uma droga, portanto, não deve ser utilizado nesta faixa etária, ou em mulheres grávidas ou amamentando, a menos que os benefícios potenciais sejam considerados superiores ao risco potencial.

Resultados de estudos em animais indicam que as tetraciclinas atravessam a placenta, são encontradas em tecidos fetais, e podem ter efeitos tóxicos sobre o feto em desenvolvimento (muitas vezes relacionados com retardo de desenvolvimento do esqueleto).

 

Há Evidências de Embriotoxicidade

Também foi observado nos animais tratados no início da gravidez.

Se nenhuma tetraciclina é usada durante a gravidez, ou se a paciente engravidar enquanto estiver tomando este medicamento, a paciente deve ser informada do risco potencial para o feto.

A fotossensibilidade manifestada por uma reação de queimadura solar exagerada tem sido observada em alguns indivíduos que tomam tetraciclinas.

Os pacientes aptos a serem expostos à luz solar direta ou luz ultravioleta deve ser avisado que esta reação pode ocorrer com drogas de tetraciclina e o tratamento deve ser interrompido já na primeira evidência de eritema cutâneo.

 

Precauções

Reações de hipersensibilidade

As reações de hipersensibilidade que estão inclusas, mas não que não se limitam é a anafilaxia, angioedema, urticária, erupções cutâneas, inchaço da face e prurido, que têm sido relatadas com o uso de Arestin ®.

Algumas destas reações foram graves.

Casos de anafilaxia e reações cutâneas graves como a síndrome de Stevens-Johnson e eritema multiforme pós-comercialização foram relatados com minociclina oral.

 

Síndromes Autoimunes

As tetraciclinas, incluindo a minociclina oral, têm sido associadas com o desenvolvimento de síndromas autoimunes, incluindo lúpus, uma síndrome semelhante manifestada por artralgia, mialgia, erupção cutânea e inchaço.

Casos esporádicos de doença do soro têm sido apresentados logo após o uso minociclina oral, que se manifesta por febre, erupção cutânea, artralgia e mal-estar.

Em pacientes sintomáticos, testes de função hepática, ANA, CBC e outros testes apropriados devem ser realizados para avaliar os pacientes. Nenhum tratamento adicional com Arestin ® deve ser administrado pelo paciente.

O uso de Arestin ® numa bolsa periodontal aguda inflamada não foi estudado e não é recomendado.

Embora não tenha sido observado nenhum crescimento excessivo por microorganismos oportunistas, tais como leveduras, foram observados durante ensaios clínicos.

Com outros agentes antimicrobianos, que a utilização de Arestin ® pode resultar em crescimento de microrganismos não sensíveis, incluindo fungos.

Os efeitos do tratamento durante mais de 6 meses não foi estudado.

Arestin ® deve ser usado com precaução em doentes que têm uma história de predisposição para a candidíase oral.

A segurança e a eficácia do Arestin ® não foram estabelecidas para o tratamento de periodontite em pacientes com candidíase orais coexistentes.

Arestin ® não foi testado clinicamente em doentes imunocomprometidos (tais como aqueles imunocomprometidos por diabetes, quimioterapia, terapia de radiação, ou a infecção com VIH).

Se a superinfecção é suspeita, devem ser tomadas as medidas adequadas.
Arestin ® não foi clinicamente testado em mulheres grávidas.

Arestin ® não foi clinicamente testado para utilização na regeneração do osso alveolar, quer na preparação ou em conjunto com a colocação de implantes dentários endosseous (ou no tratamento de implantes de falha).

 

Informação para Pacientes

Após o tratamento, os pacientes devem evitar mascar alimentos duros, crocantes, ou pegajosos (ou seja, cenouras, caramelos e gomas) com os dentes tratados durante 1 semana, bem como evitar tocar áreas tratadas.

Os doentes devem também adiar a utilização de dispositivos de limpeza em torno dos locais interproximais tratados durante 10 dias após utilização de Arestin ®.

Os pacientes devem ser alertados de que em geral, a sensibilidade de leve a moderada é esperada durante a primeira semana após o SRP e utilização de Arestin ®.

Devem notificar o dentista imediatamente se ocorrer dor, inchaço ou outros problemas.

Os pacientes devem ser notificados para informar o dentista se ocorrer coceira, inchaço, erupção cutânea, pápulas, vermelhidão, dificuldade respiratória, ou outros sinais e sintomas de possível hipersensibilidade.

Carcinogênese, mutagênese e diminuição da fertilidade

Administração dietética de minociclina em estudos de tumorigenicidade de longo prazo em ratos resultou em uma evidência de produção de tumor da tireoide.

Minociclina também foi encontrada para produzir hiperplasia da tireoide em ratos e cães.

Além disso, não houve evidência de atividade oncogenica em ratos nos estudos com um antibiótico relacionado, oxitetraciclina (tumores, ou seja, supra-renais e pituitária).

Minociclina não demonstrou ter potencial para causar toxicidade genética numa bateria de ensaios que incluíram um ensaio de mutação reversa bacteriana (teste de Ames), um de mutação genética em células de mamíferos (L5178Y / TK +/- ensaio do linfoma do rato).

Um cromossomo in vitro de mamífero no teste de aberração, e um ensaio in vivo de micronúcleos em conduzidos em ratinhos ICR.

Estudos de fertilidade e reprodução em geral os forneceram evidências de que a minociclina prejudica a fertilidade em ratos machos.

Efeitos teratogênicos

Gravidez Categoria D.

Trabalho e entrega

Os efeitos das tetraciclinas em trabalho de parto são desconhecidos.

Mães que amamentam

As tetraciclinas são excretadas no leite humano. Por causa do potencial para reações adversas graves e latentes a partir das tetraciclinas, uma decisão deve ser feita se interromper a amamentação ou descontinuar a droga, levando em consideração a importância da droga para a mãe.

 

Uso Pediátrico

Desde que periodontite adulta não afetem as crianças, a segurança e a eficácia do Arestin ® em pacientes pediátricos não pode ser estabelecida.

 

Reações Adversas

Os eventuais efeitos emergentes adversos não dentais mais frequentemente relatados nos 3 multicêntricos ensaios dos EUA foram dor de cabeça, infecção, síndrome gripal e dor.

A mudança no nível clínico de inserção foi semelhante em todos os braços do estudo, sugerindo que nem o veículo nem Arestin ® comprometem a inserção clínica.

Para denunciar suspeitas de reações adversas, entre em contato com a América Valeant Pharmaceuticals North LLC em 1-800-321-4576 ou FDA em

1- 800-FDA-1088.

 

DOSAGEM E ADMINISTRAÇÃO

Arestin ® é fornecido como um pó seco, acondicionado em um cartucho de dose unitária com uma ponta deformável, que é inserida num mecanismo de suporte do cartucho de mola para administrar o produto.

O profissional de cuidados de saúde oral remove o cartucho descartável da bolsa e conecta o cartucho com o mecanismo de manivela (ver Figuras 3-4).

Arestin ® é um produto de dose variável, dependendo do tamanho, forma, e número de bolsos a ser tratado.

Nos Estados Unidos e n o brasil, em ensaios clínicos, até 122 cartuchos de doses unitárias foram usados em uma única visita e até 3 tratamentos, em intervalos de 3 meses, foram administrados em bolsas de profundidade igual ou superior a 5 mm.

A administração de Arestin ® não requer anestesia local.

Administração subgengival profissional é conseguida através da inserção do cartucho de dose unitária para a base da bolsa periodontal e pressionando o anel de polegar no mecanismo de manivela para expelir o pó ao retirar gradualmente a ponta a partir da base da bolsa.

O mecanismo de manivela deve ser esterilizado entre pacientes.

Arestin ® não tem de ser removido, como é bioabsorvível, nem um adesivo ou capa são necessários.

 

APRESENTAÇÃO

Arestin ® (cloridrato de minociclina) microesferas, 1 mg é fornecido como se segue:

• 1 cartucho de dose unitária com dessecante em uma bolsa selada a quente, folha laminada (NDC 65976-100-01)
• 12 cartuchos de dose unitária em uma bandeja com dessecante em cada um, embalagem fechada laminado em alumínio selada a quente (NDC 65976-100-24). Há 2 bolsas em cada caixa.

Cada cartucho de dose unitária contém o identificador do produto “OP-1”.

 

Condições de Armazenamento

Armazenar a 20 ° a 25 ° C (68 ° a 77 ° F) / 60% RH: excursões permitidas a 15 ° a 30 ° C (59 ° F a 86 ° F). Evitar a exposição ao calor excessivo.

ATUALIZADO: 01.07.16

medico-emagecer-mulher-projeto-novo

 

>> Recomendamos Para Você:

  • MEDROL (Combate bactérias)
  • ATENOLOL (Usado no trato da pressão alta)
  • SIBUTRAMINA (Indicado para tratamento da obesidade)
  • MAXALT (Utilizado para tratar a enxaqueca)
  • BUSPAR (Medicamento de Anti-Ansiedade)
  • CIPRO (Combate bactérias)
  • CETIRIZINA (Usado no trato dos sintomas de gripes ou alergias)
  • BUPROPIONA (Usado por pessoas que desejam parar de Fumar)
  • ALPRAZOLAM (Usado no trato de transtornos de ansiedade, pânico e ansiedade)
  • DEMEROL (Tratar Dores Musculares Agudas)

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *