Esclerose Multipla: Diagnostico, Sintomas e Tratamentos

Tudo sobre Esclerose Múltipla e seus Tratamentos

Esclerose Multipla

TUDO SOBRE ESCLEROSE MÚLTIPLA

A esclerose múltipla (EM) é uma doença na qual o sistema imunológico ataca a bainha de proteção (mielina) que cobre os nervos. Dano na mielina interrompe a comunicação entre o cérebro e o resto do seu corpo.

Em última análise, os próprios nervos podem deteriorar-se, um processo que está atualmente irreversível.

Sinais e sintomas variam amplamente, dependendo da quantidade de danos e quais nervos são afetados. Algumas pessoas com um estado grave pode perder a capacidade de caminhar de forma independente ou em tudo, enquanto outros experimentam longos períodos de remissão, durante o qual se desenvolvem sem novos sintomas.

Não há cura para a esclerose múltipla. No entanto, os tratamentos podem ajudar a acelerar a recuperação de ataques, modificar o curso da doença e controlar os sintomas.

>> Recomendamos para Você:

> SINTOMAS

Os sinais e os sintomas de esclerose múltipla variam, dependendo do local de fibras nervosas afetadas. Sinais e sintomas da esclerose múltipla podem incluir:

– Dormência ou fraqueza em um ou mais membros que normalmente ocorre em um lado de seu corpo em um tempo, ou as pernas e tronco.
– A perda parcial ou total da visão, geralmente em um olho de cada vez, muitas vezes com dor durante o movimento dos olhos
– Visão dupla ou visão turva.
– Formigamento ou dor em partes do seu corpo.
– Sensações de choque que ocorrem com certos movimentos do pescoço, especialmente por dobrar o pescoço para a frente.
– Tremor, falta de coordenação ou marcha instável.
– Fala arrastada.
– Fadiga.
– Tontura.
– Problemas com intestino e bexiga função.

 

> CURSO DA DOENÇA

A maioria das pessoas com EM têm um curso remitente-recorrente, com novos sintomas (recaída) que se desenvolvem ao longo de dias ou semanas e geralmente melhora parcial ou totalmente, seguido de um período de silêncio (remissão) que pode durar meses ou mesmo anos.

Pequenos aumentos da temperatura corporal podem piorar temporariamente os sinais e sintomas de MS, mas esse tipo de evento não é uma recaída.

Cerca de 60 a 70 por cento das pessoas com MS reincidente-remitente, eventualmente, desenvolvem uma progressão constante dos sintomas, com ou sem períodos de remissão (MS secundária-progressiva). A taxa de progressão varia muito entre as pessoas com EM secundária-progressiva.

 

> CAUSA

A causa da esclerose múltipla é desconhecida. Acredita-se ser uma doença autoimune, em que o sistema imunitário do corpo ataca os seus próprios tecidos. Em MS, este processo destrói mielina – a substância gorda que reveste e protege as fibras nervosas do cérebro e da medula espinhal.

A mielina pode ser comparada com o isolamento de cabos eléctricos. Quando a mielina é danificada, as mensagens que trafegam ao longo desse nervo podem ser retardado ou bloqueado.

> FATORES DE RISCO

Esses fatores podem aumentar o risco de desenvolvimento de esclerose múltipla:

– Idade. MS pode ocorrer em qualquer idade, mas mais comumente afeta pessoas entre as idades de 15 e 60.

– Sexo. As mulheres são duas vezes mais propensas que os homens estão a desenvolver MS.

– A história da família. Se um de seus pais ou irmãos teve MS, você está em maior risco de desenvolver a doença.

– Determinadas infecções. Uma variedade de vírus têm sido associadas a EM, incluindo vírus de Epstein-Barr, o vírus que provoca mononucleose infecciosa.

– Corrida. Pessoas brancas, especialmente os de ascendência do Norte da Europa, estão em maior risco de desenvolver EM. As pessoas de ascendência americana Asiático, Africano ou Brasileiro tem um menor risco.

– Clima. MS é muito mais comum em países de clima temperado, incluindo o sul do Canadá, norte dos Estados Unidos, Nova Zelândia, sudeste da Austrália e na Europa.

– Certas doenças autoimunes. Você tem um risco ligeiramente maior de desenvolver MS se tiver uma doença da tireóide, diabetes tipo 1 ou doença inflamatória intestinal.

– Fumadores. Fumantes que experimentam um evento inicial dos sintomas que podem sinalizar MS são mais propensos do que os nãos fumantes de desenvolver um segundo evento que confirma MS reincidente-remitente.

 

> COMPLICAÇÕES

Pessoas com esclerose múltipla também pode se desenvolver:

– Rigidez muscular ou espasmos

– Paralisia, normalmente nas pernas

– Problemas com a bexiga, intestino ou função sexual

– Alterações mentais, tais como esquecimento ou alterações de humor

– Depressão

– Epilepsia

 

> TESTE E DIAGNOSTICO

Não existem testes específicos para MS. O diagnóstico baseia-se na exclusão de outras condições que podem produzir sinais e sintomas semelhantes. Seu médico é provável que comece com uma história médica completa e exame. O seu médico pode então recomendar:

– Exames de sangue, para ajudar a descartar doenças infecciosas ou inflamatórias com sintomas semelhantes aos da MS.

– Punção lombar (punção lombar), em que uma pequena amostra do líquido é removido do canal espinhal para análise laboratorial.

Esta amostra pode apresentar alterações nas células brancas do sangue ou de anticorpos que estão associadas com a MS. Punção lombar também pode ajudar a excluir infecções virais e outras doenças com sintomas semelhantes ao MS.

– Ressonância magnética, que pode revelar áreas de MS (lesões) em seu cérebro e medula espinhal. Você pode receber um corante intravenoso para destacar as lesões que indicam a sua doença está em fase ativa.

– Testes de potencial evocado. Um teste de potencial evocado pode usar estímulos visuais ou estímulos elétricos, em que você assistiu a um padrão visual em movimento ou impulsos elétricos curtos são aplicados aos nervos nas pernas ou braços.

Eletrodos medem a rapidez com que a informação percorre as vias nervosas.

> TRATAMENTO

Não há cura para a esclerose múltipla. O tratamento geralmente concentra-se em acelerar a recuperação de ataques, abrandar a progressão da doença e gerir os sintomas. Algumas pessoas têm sintomas tão leves que não é necessário tratamento.

– Tratamentos para ataques

Os corticosteróides, como a prednisona oral e metilprednisolona intravenosa, são prescritos para reduzir a inflamação do nervo. Os efeitos colaterais podem incluir insônia, aumento da pressão arterial, alterações de humor e retenção de líquidos.

Troca de plasma (plasmaférese). A porção líquida de parte do seu sangue (plasma) é retirada e separada de suas células sanguíneas. As células do sangue são então misturadas com uma solução de proteína (albumina) e colocadas de volta em seu corpo. Troca de plasma pode ser utilizada se os seus sintomas são graves e não responderam aos esteroides.

– Tratamentos para modificar a progressão

Para MS reincidente-remitente, certos medicamentos podem diminuir a taxa de reincidência e reduzir a taxa de formação de novas lesões, especialmente
no início do curso da doença.

 

As opções incluem:

Interferons beta. Estes medicamentos, que são injetadas sob a pele ou no músculo, pode reduzir a freqüência ea gravidade dos surtos.

Glatiramer acetato (Copaxone). Este medicamento pode ajudar a bloquear o ataque de seu sistema imunológico em mielina.

Fumarato de dimetilo (Tecfidera). Esta medicação oral duas vezes por dia pode reduzir recaídas. Os efeitos colaterais podem incluir rubor, diarréia, náuseas e contagem de células brancas do sangue reduzidos.

Fingolimod (Gilenya). Esta medicação oral uma vez ao dia reduz a taxa de recaída. Você precisa ter a sua frequência cardíaca monitorados por seis horas após a primeira dose.

Teriflunomida (Aubagio). Este medicamento uma vez por dia pode reduzir a taxa de recaída. Teriflunomida pode causar dano hepático, perda de cabelo e outros efeitos colaterais. Ele também é conhecido por ser prejudicial para o feto em desenvolvimento.

O natalizumab (Tysabri). Este medicamento é projetado para bloquear o movimento de células imunes potencialmente danosos de sua corrente sanguínea para o cérebro e a medula espinhal.

Mitoxantrone (Novantrone). Este medicamento imunossupressor pode ser prejudicial para o coração e está associada ao desenvolvimento de câncer no sangue. Mitoxantrone é normalmente usado apenas para tratar graves, MS avançadas.

– Tratamentos para os sinais e sintomas

Fisioterapia. Um fisioterapeuta ou profissional pode lhe ensinar alongamento e fortalecimento muscular, e mostrar-lhe como usar dispositivos que podem torná-lo mais fácil de executar tarefas diárias.

Relaxantes musculares. Você pode experimentar a rigidez muscular dolorosa ou incontrolável ou espasmos, particularmente nas pernas. Relaxantes musculares como baclofen (Lioresal, Gablofen) e tizanidina (Zanaflex) podem ajudar.

– Medicamentos para reduzir a fadiga.

Medicamentos também podem ser prescritos para problemas de depressão, dor e controle da bexiga ou intestino que estão associados com o MS.

 

>> Recomendamos Para Você:

anel-magnetico

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *