Dietas Loucas para Emagrecer: Top 17 Atualizado

Tudo sobre Dietas Loucas para Emagrecer

Dietasloucasparaemagrecer mini

Ao longo dos séculos, as pessoas têm tentado algumas coisas bem loucas em busca do peso ideal, algumas dietas loucas para emagrecer e perda de peso passam de pai para filho ou mesmo muitas são mitos populares.

A verdade é para perder peso não tem limite, a verdade é todas as dietas funcionam até certo ponto, mas com modismos no mundo das dietas, a perda de peso é geralmente temporária e pode ser bastante perigosa.

>> Recomendamos para Você:

Separamos algumas das mais procuradas e algumas estranhas:

1 – DUKAN:

Considerada uma das piores dietas para emagrecer e para a saúde em geral, a Dukan tem como pontos fracos o excesso de regras e a baixa quantidade de nutrientes de suas fases iniciais, apesar da possibilidade de comer o quanto desejar dos alimentos permitidos.

O regime tem quatro etapas, que duram de acordo com quantos quilos a pessoa deseja perder. O começo restringe a alimentação a proteínas e, até a terceira etapa, alguns alimentos são inclusos no programa.

Apenas na última, que dura a vida inteira, é possível comer de tudo, mas, ainda assim, há regras a seguir.

 

2 – 6 WEEK TO OMG:

A dieta sugere exercícios físicos cedo pela manhã (depois de uma dose de café preto), seguidos de um banho frio para estimular o corpo a queimar gordura acumulada.

Café da manhã, só mais tarde, às 10h. O autor argumenta que “algumas frutas bloqueiam a perda de gordura”, rejeita pequenas refeições ao longo do dia e defende as proteínas, só que ninguém terá “o tempo e a energia de seguir essa dieta” e há críticas sobre o livro por “selecionar pesquisas em vez de (oferecer) uma visão equilibrada de como a rotina de muitas pessoas não consegue acomodar” os mandamentos do autor.

Também defende a inclusão de um “café da manhã” saudável e se opõe ao caráter “competitivo” da dieta, alegando que ele estimula o “comportamento extremo”.

3 – DRUNKOREXIA:

A dieta é chamada de “loucura”, por não fornecer as quantidades adequadas de calorias, vitaminas e nutrientes necessários para “sobreviver e funcionar”. “Você se sentirá cansado, fraco, sem energia e facilmente irritável”, adverte a associação.

“Evitar comida para dar lugar ao álcool é absolutamente estúpido e pode facilmente resultar em coma alcoólico ou mesmo em morte”.

 

4 – INTRAVENOSA:

Esse método é usado em uma dieta em que se recebe de forma intravenosa uma solução que inclui vitaminas, magnésio e cálcio. Para ingerir nutrientes, o mais indicado é pela via “tradicional”: a ingestão de alimentos e bebidas saudáveis.

 

5 – NUTRIÇÃO ENTERAL:

Também apontada como uma “dieta de celebridades”, a dieta consiste em não comer nada. “Em vez disso, durante dez dias de um ciclo, uma fórmula líquida é liberada diretamente no estômago, por meio de um tubo de plástico que chega até o nariz do paciente”, porém, esses tubos naso-gástricos foram na verdade criados para pessoas com doenças crônicas e critica seu uso para emagrecimento.

E ressalta um efeito colateral sério: os seguidores dessa dieta provavelmente terão que tomar laxativos, já que não vão estão ingerindo fibras.

 

6 – ATKINS:

Na teoria: parte do princípio de que as principais fontes de energia do corpo são os carboidratos e a redução do seu consumo forçaria o corpo a buscar alternativas, como a queima de gorduras.

Assim, queijos, carnes e outros alimentos ricos em proteínas estão liberados. Perde-se entre 3 kg e 4 kg nas duas primeiras semanas.

Na prática: por ser rica em gorduras ruins para o organismo, a longo prazo, pode causar problemas cardiovasculares. O cardápio é pobre em fibras, vitaminas e minerais, e não supre a necessidade diária de carboidratos (no início limitada a 20 g).

Tal fato prejudica a prática de atividades físicas, e pode interferir na capacidade de concentração e raciocínio.Quem deve evitar: como dá preferência às proteínas, é desaconselhada para todos, mas em especial para quem possui problemas cardiovasculares.

 

7 – SOUTH BEACH:

A dieta de South Beach é parecida com a de Atkins apenas na fase inicial, que dura duas semanas, e promete a perda de 3 a 6 kg. A diferença é que a de South Beach indica apenas carnes e proteínas magras, além de permitir o consumo de leguminosas (feijão, soja, lentilha, ervilha) e de pequenas porções de oleaginosas, como nozes e amêndoas.

É mais saudável que a de Atkins porque as carnes e proteínas magras contêm menos gordura saturada e o consumo de leguminosas fornece mais nutrientes, fibras e um pouco de carboidrato ao organismo.

Na segunda fase, que também dura duas semanas, é permitido consumir frutas e cereais integrais em pequena quantidade. A perda de peso ocorre de modo mais saudável, ao ritmo de 1 kg por semana.

A terceira fase é para o resto da vida e recomenda evitar todos os alimentos feitos com açúcar e farinha refinados, dando preferência sempre aos integrais.

Como a de Atkins, a dieta de South Beach não conta calorias. Caso a pessoa volte a engordar durante a fase de manutenção por ter cometido algum “deslize”, o criador da dieta orienta que a pessoa recomece da fase um.

“Esse mecanismo compensatório pode ser perigoso porque pode desenvolver sentimento de culpa em relação aos escorregões alimentares, o que favorece o aparecimento de distúrbios como anorexia e bulimia em quem já tem essa tendência”, analisa a nutricionista Luciana Setaro.

Segundo ela, outro ponto negativo da dieta de South Beach é que, apesar da presença das leguminosas, há perda de massa magra durante a primeira fase pelo baixo consumo de carboidratos.

8 -TIPO SANGUÍNEO:

Na teoria: a elaborada a partir da observação de que cada tipo sanguíneo (O, A, B e AB) possui características digestivas e imunológicas comuns.

Na prática: conforme o tipo sanguíneo, a dieta aplica restrições e proíbe o consumo de nutrientes essenciais; tais limitações, por si só, levam à perda de peso.

Entretanto, alguns grupos são prejudicados pela escassa ingestão de alimentos importantes como frutas (O), laticínios (O), verduras e legumes (A), peixes (A).

Quem deve evitar: pela restrição, o cardápio leva ao desequilíbrio nutricional. É desaconselhada para todos, mas principalmente para diabéticos, cuja dieta diária deve incluir percentuais precisos de carboidratos, gorduras, proteínas, fibras, vitaminas e sais minerais, estes últimos obtidos com o consumo de 2 a 4 porções de frutas diárias e 3 a 5 porções de hortaliças.

 

9 – DIETA DA SOPA:

Na teoria: propõe o consumo de apenas caldos de legumes e verduras no almoço e jantar, com a ingestão de líquidos durante os intervalos. A promessa é a perda de 4 kg em uma semana.

Na prática: o cardápio não supre as necessidades de proteínas e nutrientes exigidas pelo organismo e, se praticado por longos períodos, pode acarretar à perda de massa magra (músculos) e não de massa gorda (gordura).

Outro agravante é que a dieta pode desencadear desequilíbrios nos níveis de ferro, vitaminas do complexo B, que se manifesta por meio de sonolência, fraqueza, mal-estar e dor de cabeça.

Quem deve evitar: como é muito restritiva, pode causar desnutrição e queda de pressão. Por isso é desaconselhada para todos, principalmente para quem pratica atividade física intensa ou tem pressão baixa.

 

10 – BEVERLY HILLS:

A dieta de Beverly Hills utiliza extrema restrição calórica e planos de menu peculiar para perder peso rapidamente. Específicas frutas e legumes, como ameixas, morangos e as batatas, são consumidos em combinações específicas e quase sem restrições. Muitos críticos acreditam que esta dieta não tem certas vitaminas e minerais essenciais.

 

anel-magnetico

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *