Conheça Quais são os Perigos de Sucralose? (ATUALIZADO)

Tudo sobre os Perigos da Sucralose

Conheca_Quais_sao_os_Perigos_de_Sucralose_ATUALIZADO_mini

PERIGOS DA SUCRALOSE (ADOÇANTES)

Sucralose , o substituto do açúcar sem calorias mais comumente conhecido como adoçantes de diversas marcas, foi encontrado por causar uma variedade de efeitos biológicos nocivos no corpo, de acordo com uma nova revisão de pesquisa.

As primeiras pesquisas, disse que a sucralose passa através de seu trato gastrointestinal assim que forem digeridas. A teoria era de que ela tinha pouco ou nenhum efeito sobre você.

Mas novos estudos mostram que a sucralose é realmente metabolizada, Entre uma série de problemas, inclui:

– Reduz as bactérias boas do intestino : Sucralose altera a quantidade e a qualidade desses micróbios benéficos em sua barriga (as mesmas encontradas no iogurte) de 50% ou mais. A alteração na contagem bacteriana está associada com ganho de peso e obesidade.

– Faz medicamentos menos eficazes: O substituto do açúcar limita a absorção de drogas terapêuticas, tais como as do câncer e doenças cardíacas, tornando-as menos eficazes.

– Lançamentos de toxinas: Muitas pessoas assam com adoçantes para reduzir as calorias em uma receita, mas quando ela se decompõe durante o cozimento, libera compostos potencialmente tóxicos denominados chloroproanols.

– Podem alterar as respostas do seu corpo: Sucralose pode alterar as respostas de insulina e níveis de açúcar no sangue, e tem sido associada com doença inflamatória intestinal , e pode até mesmo alterar os genes, observam os pesquisadores.

>> Recomendamos para Você:

(VÍDEO) DICAS PARA EMAGRECER QUE FUNCIONAM (GARANTIDO)

Agora, vamos colocar a pesquisa em perspectiva. Ela foi realizada em ratos e ratazanas e não são, obviamente, os seres humanos. No entanto, a aprovação de quanto sucralose pode ser consumida com segurança é baseada em estudos com ratos, por isso é uma comparação justa.

A pesquisa também utilizou valores que são aprovados para uso em alimentos, não megadoses, e alguns foram observados efeitos adversos em níveis muito baixos.

Por exemplo, beber o equivalente a menos de um refrigerante diet por dia foi encontrado por reduzir as bactérias boas do intestino, e dois refrigerantes diet por dia podem limitar a absorção de um remédio.

Outra pesquisa descobriu que os substitutos do açúcar são ligados a diabetes tipo 2, doenças cardíacas, síndrome metabólica e obesidade.

Então, se você quer algo doce , sua melhor opção é o açúcar comum com moderação, não mais do que 100 calorias, ou seja, seis colheres de chá por dia.

 

>> Recomendamos Para Você:

anel-magnetico

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Bom dia
    Gostaria que divulgasse as fontes da onde tirou essas informações.
    Segundo o CFN (conselho federal de nutricionistas):
    Recomendação CFN nº 3/2016 – Sucralose

    ” O Conselho Federal de Nutricionistas no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas pela Lei nº 6.583, de 20 de outubro de 1978 e pelo Decreto nº 84.444, de 30 de janeiro de 1980;

    CONSIDERANDO os vários comentários negativos sobre a sucralose em redes sociais, mídias e em alguns eventos, entre eles, que o referido adoçante aumentaria a secreção de insulina, causaria alterações na tireoide, câncer;

    CONSIDERANDO a dúvida se o consumo de sucralose deve ou não ser indicado pelo nutricionista a seus pacientes;

    INFORMA que:

    Apesar de informações circulantes de malefícios sobre a sucralose, não foram encontrados estudos científicos (desenvolvidos com humanos e em quantidade representativa) que suportem as afirmações de que o consumo do edulcorante aumentaria a secreção de insulina, causaria alterações na tireoide e câncer.
    A sucralose foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) como um edulcorante de mesa em 1998, seguindo-se a aprovação como um adoçante de uso geral em 1999. Antes de aprovar o adoçante, o FDA revisou mais de 100 estudos de segurança realizados no edulcorante, incluindo estudos para avaliar o risco de câncer. Os resultados destes estudos não mostraram nenhuma evidência de que o adoçante cause câncer ou represente qualquer outra ameaça à saúde humana (1). Não existem evidências claras de que os adoçantes disponíveis comercialmente nos Estados Unidos estejam associados com o risco de câncer em seres humanos (2).
    A Ingestão Diária Aceitável (ADI) é de 0-15 mg / kg de peso corporal – última avaliação em 1990, segundo o resumo das avaliações realizadas pelo Comitê Misto Food and Agriculture Organization of the United Nations/World Health Organization (FAO/WHO) de Peritos em Aditivos Alimentares. (3)
    O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), órgão auxiliar do Ministério da Saúde no desenvolvimento e coordenação das ações integradas para a prevenção e o controle do câncer no Brasil, registrou em 01 de agosto de 2015 que “evidências obrigam o INCA a cumprir com sua responsabilidade de informar à população que o consumo de adoçantes artificiais está associado ao desenvolvimento de algumas doenças, inclusive do câncer”. No texto, a sucralose especificamente não foi mencionada como causadora de malefícios, e sim a sacarina sódica, o aspartame e edulcorantes em geral. (4)
    Em busca de mais informações, em contato com a Unidade Técnica de Alimentação, Nutrição e Câncer do INCA, nos foi informado que ainda não há evidências que relacionem o consumo de sucralose com o desenvolvimento de câncer em seres humanos. No entanto, há motivos para o reconhecimento da hipótese de relação entre o uso de adoçantes não nutritivos e o risco de desenvolver a doença e por isso o INCA adotou a recomendação de evitar o consumo de qualquer tipo de adoçante artificial, inclusive a sucralose, para a população sem indicação clínica específica para o uso da substância.
    A sucralose foi sugerida para avaliação do Grupo Consultivo da International Agency for Research on Cancer (IARC), com alta prioridade, para estimativa de carga global do Câncer, no decorrer dos anos de 2015 a 2019 (5). “

  • Depois que descobri ter diabete tipo 2, há cerca de 3 anos, substitui o açúcar por sucralose (Línea) na expectativa de estar fazendo a melhor escolha em relação a outros adoçantes como aspartame, sacarina e ciclamato.
    De uns tempos para cá, passei a ter muita prisão de ventre. Como mamão, aveia, linhaça, bebo água de ameixa, água com germe de trigo, mas nada de a barriga funcionar direito. Tenho que tomar um comprimido de lacto-purga por semana, pois, caso contrário o intestino e eu ficamos enfezados.
    Depois de ler sobre os perigos da sucralose, vou substituí-la por stevia ou tomar café e sucos sem nenhum adoçante.

  • Olá eu faço o uso da sucralose somente para adoçar os líquidos,em especial meus cafés
    da manhã e da tarde,qual o risco de se consumir sucralose no cafezinho quente?
    Irace

  • Li a respeito do perigo do adoçante sucralose. Faço uso do mesmo a quase um ano, idicado por uma nutricionista, por ser o mais seguro de todos. Agora não sei mais o que fazer. Gostaria por gentileza que me indicassem um outro tipo de adoçante mais seguro e eficaz, pois já usei quase todos. Grato.

    • Ronaldo, substitua por acúcar mascavo, acúcar demerara, stevia ou Xilitol ( o último é o mais completo, porém acho caro)

    • Sr. Ronaldo Caldas Rego, ao seu pedido de indicação de um adoçante seguro e eficaz, te indico, sem pestanejar, um adoçante chamado Stevita, feito à base de uma plantinha chamada Stévia. Esse adoçante não contém os assassinos Ciclamatos de Sódio, nem Sacarina Sódica, nem o cancerígeno Aspartame e nem o veneno Sucralose. Mas TENHA CUIDADO, só use o adoçante chamado STEVITA, que tem o frasco branco com a tampinha verde e é 100% stévia!!!!!!!!! Os abutres do comércio já lançaram uns adoçantes que tentam induzir o cliente ao erro, pois colocam na embalagem o nome STÉVIA bem grande e em letras pequeninas os famigerados Ciclamatos de Sódio e Sacarina Sódica, ou seja, a stévia entra na composição do produto apenas em uma proporção ínfima, apenas o suficiente para poderem colocar o nome stévia no rótulo da embalagem para enganar os incautos. Veja como é a indústria da doença: aqui em minha cidade – João Pessoa/PB, o adoçante STEVITA sumiu de todos os lugares onde eu costumava comprar, mas os ciclamatos, sacarinas, sucraloses e aspartames abundam nas gôndolas dos supermercados e farmácias.Eu sou diabético e hipertenso e só posso consumir o STEVITA (pesquise na internet, veja o que o Dr. Lair Ribeiro fala dele) pois esse adoçante não tem nenhum efeito colateral e pode ser consumido livremente por todos. Boa sorte!