BACTRIM: Pra que Serve, Indicações e Efeitos Colaterais

Tudo sobre Bactrim suas Indicações e Efeitos Colaterais

Bactrim

BACTRIM

Marcas: Bactrim, Bactrim DS, Septra, Septra DS, SMZ-TMP DS, Sulfatrim Pediátrica.

Nome genérico: sulfametoxazol e trimetoprim

Sulfametoxazol e trimetoprim são ambos antibióticos que tratam diferentes tipos de infecção causada por bactérias.

A combinação de sulfametoxazol e trimetoprim é usada para tratar infecções nos ouvidos, infecções do trato urinário, bronquites, diarreia do viajante, shigelose e pneumonia por Pneumocystis jiroveci.

Sulfametoxazol e trimetoprim também pode ser usado para fins não mencionados neste guia medicação.

 

>> Recomendamos para Você:

 

(VÍDEO) TRIMETOPRIM/SULFAMETOXAZOL USO SEGURO DE ANTIBIÓTICOS

 

(VÍDEO) Cálculo de Medicamentos /- Cianocobalamina -Sulfametoxazol +Trimetoprina

 

(VÍDEO) Farmacologia: Antibióticos 1 – Inibidores Parede Celular

>> Quais são os possíveis efeitos colaterais de sulfametoxazol e trimetoprim?

Obtenha ajuda médica de emergência se tiver algum destes sinais de reação alérgica: urticária; dificuldade em respirar; inchaço do rosto, lábios, língua ou garganta.

Chame o seu médico imediatamente se tiver um efeito colateral grave, tais como:

Diarreia, que é aguada ou com sangue;
– Febre, calafrios, glândulas inchadas, dores no corpo, sintomas de gripe, feridas na boca e garganta;
– Tosse ou agravamento;
– Pele pálida, frequência cardíaca rápida tontura, dificuldade de concentração;
– Hemorragias (nariz, boca, vagina ou reto), manchas pontuais roxas ou vermelhidão sob a pele;
– Formigamento ou dormência grave, diminuição da frequência cardíaca, pulso fraco, fraqueza muscular;
– Náuseas, dor de estômago superior, comichão, perda de apetite, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou olhos);
– Urinar menos que o habitual;
– Alucinações, apreensão (convulsões);
– Baixo nível de açúcar no sangue (dor de cabeça, fome, fraqueza, sudorese, confusão, irritabilidade, ou se sentir nervoso);
– Reação cutânea grave – febre, dor de garganta, inchaço no rosto ou língua, ardor nos olhos, dor na pele, seguida por uma erupção cutânea vermelha ou roxa que se espalha (especialmente no rosto ou corpo superior) e provoca bolhas e descamação.

 

>> Efeitos menores:

– Vômitos;
– Língua dolorosa ou inchada;
Tonturas;
– Zumbido nos ouvidos;
– Sensação de cansaço, problemas de sono (insônia).

 

>> Quais são as informações importantes que eu devo saber sobre sulfametoxazol e trimetoprim?

Você não deve usar este medicamento se você é alérgico a sulfametoxazol trimetoprim ou, se estiver grávida ou amamentando, ou se você tem anemia (falta de células vermelhas do sangue) causada por deficiência de ácido fólico.

Antes de usar este medicamento, informe o seu médico se você tem doença renal ou hepática, uma deficiência de ácido fólico, asma ou alergias graves, um distúrbio da tireóide, HIV ou AIDS, porfiria, deficiência de G6PD, ou se você está desnutrida.

Tome este medicamento durante o período estabelecido completo de tempo.

Seus sintomas podem melhorar antes que a infecção esteja completamente apagada.

Pular doses pode também aumentar o risco de uma nova infecção que é resistente a antibióticos. Sulfametoxazol e trimetoprima não vai tratar uma infecção viral, como o resfriado comum ou gripe.

Medicamentos antibióticos podem causar diarreia, que pode ser um sinal de uma nova infecção.

Se você tiver diarreia, aguada ou com sangue, procure o médico. Não use nenhum remédio para parar a diarreia, a menos que o seu médico lhe aconselhe.

Evite a exposição à luz solar ou camas de bronzeamento. Use roupas de proteção e use protetor solar (SPF 30 ou superior) quando estiver ao ar livre.

 

>> Como devo tomar sulfametoxazol e trimetoprim?

Tome exatamente como prescrito pelo seu médico. Não tome em quantidades maiores ou menores ou por mais tempo do que o recomendado. Siga as instruções na etiqueta da prescrição.

Meça o medicamento líquido com uma colher especial de medição. Tome este medicamento durante o período estabelecido completo de tempo.

Seus sintomas podem melhorar antes que a infecção esteja completamente apagada.

Pular doses pode também aumentar o risco de uma nova infecção que é resistente a antibióticos. Sulfametoxazol e trimetoprima não vão tratar uma infecção viral, como o resfriado comum ou gripe.

Beba bastante líquidos para evitar pedras nos rins enquanto estiver tomando trimetoprim e sulfametoxazol.

Este medicamento pode causar resultados incomuns com certos exames médicos. Informe qualquer médico que trata de que você está usando sulfametoxazol e trimetoprim.

Guarde-o em temperatura ambiente longe da umidade, calor e luz.

 

BACTRIM FORTE 800MG /160MG COMPRIMIDO (CAIXA COM 10 COMPRIMIDOS)

BACTRIM FORTE: SUAS INDICAÇÕES

Eles procedem da atividade antibacteriana e antiparasitária do produto, a farmacocinética de sulfametoxazol e trimetoprim, possui risco de efeitos adversos (hematológicas e pele em particular) e deve levar em conta num determinado país a evolução da sensibilidade do produto a germes e outros antibióticos disponíveis.

Quando for usado como antibiótico de primeira linha com a melhor relação risco/benefício deve ser levado em conta indicações e germes em questão.

Eles são restritos a infecções causadas em adultos por organismos susceptíveis.

 

Em particular o tratamento curativo de:

-infecções Pneumocystis carinii
infecções urogenitais em seres humanos, incluindo prostatite.

Prevenção de infecções Pneumocystis carinii , em pacientes imunocomprometidos, incluindo:

-em doentes infectados com HIV e em risco de pneumocistose.

Nestes casos, a incidência da toxoplasmose cerebral parece também diminuir durante os estudos em doentes que receberam trimetoprim-sulfametoxazol e foi tolerado por longos períodos.

Em caso de transplante de medula óssea ou transplante de órgãos.

Segunda: Levando em conta a relação risco/benefício em comparação com outros produtos, epidemiologia e resistência bacteriana observada nestas patologias.

Tratamento: infecções altas e baixas do trato urinário das mulheres, incluindo o tratamento com dose única de cistite aguda não complicada em mulheres com menos de 65 anos.

Otites e sinusites, mas só depois de resultados de exames bacteriológicos.

Algumas das infecções broncopulmonares, infecções digestivas e febre tifóide.

Devem ser consideradas as orientações médicas sobre a utilização adequada de agentes antibacterianos.

 

BACTRIM FORTE: CONDIÇÕES PARA AS QUAIS PODE SER PRESCRITO

• A infecção por Pneumocystis carinii
• Infecção urogenital do homem
Próstata
• Pneumocystis carinii infecção em pacientes com infecção pelo HIV
• A infecção por Pneumocystis carinii em transplante de medula óssea
• A infecção por Pneumocystis carinii em transplante de órgãos
• infecção urinária alta em mulheres
• Infecção do trato urinário inferior feminino
• Cistite aguda não complicada em mulheres com menos de 65
• Otite
Sinusite
• Infecção pulmonar
• Infecção digestiva
• A febre tifóide

Classe terapêutica Infecciosa – Parasitologias Infecciosas – Parasitologia

Ingredientes ativos Sulfametoxazol e trimetoprim

Excipientes Carboximetilamido, estearato de magnésio (E572), docusato de sódio e povidona (E1201)

Estado Medicamentos sujeitos a receita médica

TTC preço de venda € 2,00 (R$ 7,54)

Tx reembolso SS 65%

Laboratório Rocha

 

APRESENTAÇÃO

BACTRIM FORTE: SUA DOSAGEM

DOSAGEM – adulto com função renal normal: A dose habitual é de 1 comprimido a cada 12 horas.

Pode chegar a 3 comprimidos por dia, em caso de infecções graves.

Casos especiais – tratamento de dose única de cistite aguda não complicada em mulheres com menos de 65 anos: 3 comprimidos numa dose única.

Tratamento de infecções de Pneumocystis carinii – 80 a 100mg/kg de sulfametoxazol por dia e 16 a 20 mg/kg de trimetoprim por dia, tomar em 3 ou 4 doses.

Prevenção de infecções de Pneumocystis carinii – em geral, particularmente em doentes infectados com o HIV, um tablete 3 vezes por semana para 1 comprimido por dia.

Em casos de transplante de medula óssea – 1 comprimido 2 vezes ao dia no período de 2 dias consecutivos por semana, durante pelo menos 6 meses após o transplante.

Entre receptores de transplante de órgãos – 1 comprimido por dia, 1 comprimido 3 vezes por semana.

Adulto com insuficiência renal – depuração da creatinina > 30 ml: dose normal; 15 ml < depuração da creatinina < 30 ml: metade – dose (mesma dose unitária, mas em uma única dose por dia).

Depuração da creatinina < 15 ml: usar o produto em caso de hemodiálise. A dose habitual é reduzida pela metade e administrada após a diálise; a verificação regular dos níveis plasmáticos é recomendada.

Modo de administração: A administração (consumo) é feita de preferência durante as refeições.

 

BACTRIM FORTE: SUA APARÊNCIA E FORMA

Tablete oblongo branco.

BACTRIM FORTE: APRESENTAÇÃO

BACTRIM FORTE: COMO FUNCIONA

ASSOCIAÇÃO E SULFAMIDA TRIMETOPRIMA

Este medicamento é uma combinação de uma sulfonilureia, sulfametoxazol, uma diaminopirimidina, trimetoprim na proporção de 5/1. O sulfametoxazol e trimetoprim ato sinergicamente em proporções incluiu entre: 100/1 a 10/1.

Espectro antibacteriano: Os pontos de interrupção separam as cepas sensíveis da sensibilidade intermediária de cepas, e este último se torna resistente a partir da Trimetoprima-sulfametoxazol: S <= 2mg/L e R> 8mg/L.

A prevalência de resistência adquirida pode variar dependendo da geografia e tempo para determinadas espécies. Por isso, é útil ter informações sobre a prevalência de resistência local, particularmente no tratamento de infecções graves.

Estes dados só podem fornecer uma orientação sobre as probabilidades da sensibilidade de uma estirpe bacteriana a este antibiótico.

PRECAUÇÕES

O QUE FAZER PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS

Não aplicável.

BACTRIM FORTE: SUAS CONTRAINDICAÇÕEShttp://dieta.blog.br/cardapio-simples-barato-e-gostoso-para-as-criancas-2015

-Este medicamento nunca deve ser usado em casos de hipersensibilidade a qualquer componente (particularmente de hipersensibilidade a sulfonamidas);
-Em crianças prematuras e recém-nascidas, devido à imaturidade dos seus sistemas enzimáticos;
-Em caso de deficiência de G6PD, incluindo a criança de peito: risco de gatilho hemólise;
-Em pacientes com doença parenquimatosa hepática grave;
-Durante o aleitamento se a criança tiver menos de um mês: sulfametoxazoltrimetoprim é excretado no leite materno. A amamentação é contraindicada nos casos em que a mãe ou a criança tem deficiência de G6PD, para evitar a ocorrência de hemólise.
Com sulfonamidas longa meia-vida, icterícia nuclear tem sido relatada em recém-nascidos. Portanto, a amamentação é contraindicada quando a criança tiver menos de um mês;
-Quando usado em combinação com o metotrexato.

 

RECOMENDADO

Esta droga geralmente não deve ser usada durante a amamentação: a amamentação não é recomendada em combinação com fenitoína, poupando sais de potássio, diuréticos poupadores de potássio, inibidores da conversão de enzima, inibidores da angiotensina II, não-esteroides anti-inflamatórios, heparinas (baixo peso molecular ou não fracionada).

Ciclosporina e tacrolimus, trimetoprim – a utilização de sulfametoxazoltrimetoprim não é recomendada em pacientes com anemia macrocítica.

-Gravidez: é preferível, como medida de precaução, não usar sulfametoxazol/trimetoprim durante o primeiro trimestre da gravidez. Estudos em animais revelaram efeitos teratogênicos.

A experiência clínica e dados eficazes foram publicados sobre pacientes que não mostram qualquer aumento na incidência global de malformações ou doenças neonatais.

Dois estudos recentes, entretanto, sugerem a possibilidade de abusos específicos envolvendo tubo neural e coração, no caso de exposição durante os três meses seguintes ao último período.

O mecanismo ilícito de ação é o de interferência com folato.

Estes resultados devem ser confirmados e não só justificar o aconselhamento da interrupção da gravidez.

No entanto, se sulfametoxazol-trimetoprim é utilizado na suplementação da gravidez precoce pode ser oferecido ácido fólico durante o período de tratamento, sem uma avaliação até à data da sua eficácia na prevenção de anomalias mencionadas.

Na deficiência de G6PD congênita, a ocorrência de lata hemólise neonatal.

 

(VÍDEO) Os Antibióticos

 

BACTRIM FORTE: PRECAUÇÕES DE UTILIZAÇÃO

ADVERTÊNCIAS

-A gravidade potencial dos acidentes deve pesar o benefício terapêutico esperado pelo risco.
-Marcas na pele e marcar hematológicas exigem a suspensão imediata e permanente do tratamento.
-Acidentes hematológicos são mais frequentes em idosos, em indivíduos com deficiência de folato pré-existente (idosos, grávidas, pessoas que consomem muito álcool, pessoas com insuficiência hepática crônica, com desnutrição ou má absorção crónica).
Estas alterações hematológicas são reversíveis após a terapia de ácido folínico. Nestes doentes, recomenda-se não exceder dez dias de tratamento com trimetoprim-sulfametoxazol.
-A monitorização hematológica periódica é necessária quando o tratamento é prolongado ou repetitivo, em pacientes com mais de 65 anos e em indivíduos deficientes em folato.
-O uso de trimetoprim-sulfametoxazol não é recomendado em pacientes com anemia macrocítica.
-Os casos de pancitopenia foram relatados em pacientes que tomam concomitante sulfametoxazoltrimetoprim e metotrexato.

 

PRECAUÇÕES

-A dosagem alta não é adequada para o tratamento de crianças com menos de 12 anos.
-Em casos de insuficiência renal grave (clearance de creatinina <30 ml) a dose deve ser reduzida.
-Em particular a monitorização biológica deve ser realizada em pacientes com insuficiência hepática (transaminases e da bilirrubina), história de hematológica (hemograma, plaquetas, reticulócitos), e insuficiência renal (depuração da creatinina).
-É necessário o acompanhamento do potássio sérico em alguns doentes de risco (insuficiência renal, os pacientes infectados pelo HIV, os pacientes que receberam doses elevadas de trimetoprim, idosos), que receberam medicamentos poupadores de potássio.
-Durante o tratamento, garantir a ingestão adequada de líquidos (pelo menos 2 litros por dia) para evitar possíveis cristalúrias.
-Interferência biológica (testes de diagnóstico): trimetoprim pode interferir no ensaio de creatinina no plasma quando o ácido pícrico é utilizado. Isto resulta numa sobreavaliação de cerca de 10%.

O trimetoprim-sulfametoxazol, trimetoprim mais especificamente pode interferir com o ensaio de metotrexato usando no método de ligação competitiva às proteínas quando o redutase de di-hidrofolato é usado como proteína bacteriana de ligação.

No entanto, não há nenhuma interferência se o metotrexato é medido pelo método de radioimunoensaio.

 

BACTRIM FORTE: SUAS INTERAÇÕES

ASSOCIAÇÃO E CONTRA INDICAÇÃO

Metotrexato: aumenta os efeitos de toxicidade hematológica do metotrexato, movendo a sua ligação às proteínas plasmáticas causadas pela diminuição da excreção renal e pela inibição aditiva de diidrofolato redutase.

 

ASSOCIAÇÕES NÃO ACONSELHADAS

Fenitoína: aumenta as concentrações de fenitoína para valores tóxicos (inibição do metabolismo).

Prefira usar outra classe anti-infecciosa, se não fechar a monitorização clínica ou a dosagem de concentrações de fenitoína e eventuais ajustamentos da dose durante o tratamento com sulfonamidas anti-infecciosas e após a sua suspensão.

-Poupando trimetoprim: determinados medicamentos ou classes terapêuticas podem favorecer o aparecimento de hipercalemia, tais como sais de potássio, diuréticos poupadores, inibidores da enzima e conversores de angiotensina angiotensina II, não esteroides anti-inflamatórios, heparinas (baixo peso molecular ou não fracionada), ciclosporina e tacrolimus, trimetoprim.

A ocorrência de hipercaliémia pode depender da existência de fatores de risco.

Este risco é aumentado em caso de combinação dos medicamentos listados acima. Consequentemente, a sua co-prescrição não é recomendada.

 

ASSOCIAÇÕES COM O MEDICAMENTO

CUIDADO

-Zidovudina: aumento da inibição de toxicidade hematológica de dihidrofolato redutase. Monitorização mais frequente das contagens de sangue.
-Clorpropamida, tolbutamida: hipoglicemia grave, mecanismo chamado de deslocamento de ligação das proteínas plasmáticas que previnem doenças e fortalecem o sangue. É possível se adaptar a dose de sulfonilureia para a anti-infecção e após encerrar o tratamento.
-Pirimetamina: anemia megaloblástica, especialmente em altas doses de ambos os produtos (deficiência de ácido fólico pela combinação de dois diaminopirimidinas). Controle de contagens regulares de sangue e tratamento combinado com ácido folínico (injeções IM regulares).
-Varfarina (e por extrapolação, outros anticoagulantes orais): aumento do efeito dos anticoagulantes orais e risco de hemorragia.

Mecanismo chamado de movimento de ligação às proteínas do plasma. Monitorização do tempo de protrombina e monitorização INR.

Ajuste da dose do anticoagulante por via oral durante o tratamento anti-infeccioso e 8 dias depois de sua prisão.

 

ASSOCIAÇÕES QUE DEVEM SER CONSIDERADAS

Ciclosporina: aumento da creatinina sérica com possíveis concentrações e diminuição plasmática de ciclosporina.

Problemas específicos do desequilíbrio de INR: muitos casos de aumento da atividade de anticoagulantes orais têm sido relatados em pacientes que receberam antibióticos.

O contexto foi infeccioso ou inflamatório, a idade e estado geral do doente parecem ser fatores de risco.

Nestas circunstâncias, é difícil distinguir entre doenças infecciosas e seu tratamento na ocorrência do desequilíbrio do INR.

No entanto, algumas classes de antibióticos mais envolvidos incluem fluoroquinolonas, macrólidos, tetraciclinas, cotrimoxazol e algumas cefalosporinas.

 

BACTRIM FORTE: SUAS INCOMPATIBILIDADES

Não aplicável.

 

EM CASO DE OVERDOSE

SINTOMAS

Os sintomas de sobredosagem não são efeitos colaterais diferentes dos descritos acima.

No caso de sobredosagem crônica pode ocorrer mielossupressão manifestada por trombocitopenia e leucopenia além de outras discrasias do sangue devido à deficiência de ácido fólico.

 

TRATAMENTO

Dependendo dos sintomas, as seguintes medidas terapêuticas podem ser consideradas: lavagem gástrica, tratamento emético, a indução da excreção renal de diurese forçada, hemodiálise (diálise peritoneal não é eficaz), hematológica e monitoramento de eletrólitos.

Se ocorrer uma discrasia sanguínea significativa ou icterícia, a terapia específica deve ser instituída para essas complicações. O ácido folínico de injeções intramusculares pode ser indicado.

 

GRAVIDEZ E LACTAÇÃO

GRAVIDEZ – ALEITAMENTO

Gravidez: É preferível, como medida de precaução, não usar o sulfametoxazol-trimetoprim durante o primeiro trimestre da gravidez. Já no segundo e terceiro trimestre, o uso pode ser considerado, se necessário.

Estudos em animais revelaram efeitos teratogênicos. A experiência clínica e dados publicados mostraram que o uso do medicamento e mais eficaz para pacientes que não mostram qualquer aumento na incidência global de malformações ou doenças neonatais.

Dois estudos recentes, entretanto, sugerem a possibilidade de abusos específicos que envolvem o tubo neural e coração, no caso de exposição durante os três meses seguintes ao último período.

O mecanismo ilícito de ação é o de interferência com folato. Estes resultados devem ser confirmados e não só justificar aconselhamento sobre a interrupção da gravidez.

No entanto, se sulfametoxazol-trimetoprim é usado no início da gravidez a suplementação com ácido fólico pode ser movido durante o período de tratamento, sem uma avaliação até à data da sua eficácia na prevenção de anomalias mencionadas.

Na deficiência congênita G6PD, pode acontecer a ocorrência de hemólise neonatal.

Este efeito tem sido relatado com algumas sulfonamidas meia-vida longa, o que no caso não é o sulfametoxazol.

Amamentação: O trimetoprim-sulfametoxazol é excretado no leite materno. A amamentação é contraindicada em casos em que a mãe ou a criança tem deficiência de G6PD, para impedir a ocorrência de hemólise.

Com sulfonamidas longa meia-vida, a icterícia nuclear têm sido relatada no recém-nascido.

Portanto, a amamentação é contraindicada se o recém-nascido tem menos de um mês. Antes desta idade a amamentação não é recomendada.

 

(VÍDEO) Os 10 melhores antibióticos naturais

 

OS EFEITOS ADVERSOS

BACTRIM FORTE- EFEITOS INDESEJÁVEIS

-Perturbações gerais: reações de hipersensibilidade têm sido relatadas: hipertermia, angioedema, choque anafilático e reações anafiláticas. Em casos excepcionais de doença intersticial pulmonar foram relatadas reações adversas notificadas em ordem decrescente de frequência.
-Manifestações cutâneas: prurido erupção cutânea, urticária. Estes eventos são geralmente moderados e rapidamente reversíveis após a interrupção do tratamento. Outras drogas contendo sulfonamidas, trimetoprim-sulfametoxazol foam associadas com manifestações cutâneas do tipo eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica, venenosa (necrólise epidérmica tóxica) e erupção medicamentosa fixa.
-Distúrbios digestivos: náuseas, vômitos, dor epigástrica, diarreia, colite pseudomembranosa. Casos de pancreatite foram relatados com sulfametoxazoltrimetoprim, um terço em pacientes imunocomprometidos (transplantados, HIV, AIDS).
-Doenças hepáticas: hepatite principalmente colestática, aumento de transaminases e bilirrubina.
-Eventos hematológicos: casos de trombocitopenia, leukoneutropenia, agranulocitose, anemia aplástica e anemia hemolítica parecem preferencialmente ocupar um mecanismo imunológico.
Em idosos com mais de 65 anos e/ou com deficiência de ácido fólico, esses acidentes hematológicas, especialmente casos de anemia megaloblástica e citopenia, parecem tomar uma dose bastante tóxica, afetando o mecanismo dependente de duração. Na verdade, o produto pode interferir no metabolismo dos folatos.
-Doenças do sistema urinário: casos de função renal, nefropatia intersticial, aumento isolado da creatinina sérica e cristalúria foram relatados.
-Manifestações neurológicas: neuropatia (incluindo neuropatia periférica e parestesia). Casos raros de meningite asséptica, ou sintomas pseudoméningés, ataxia, convulsões, tonturas e tremores foram registrados. Em casos excepcionais de uveíte foram descritos.
-Distúrbios do sistema musculoesquelético: casos raros de ‘artralgia e mialgia, e casos isolados de rabdomiólise têm sido relatados.
-Distúrbios metabólicos: casos de hipercalemia foram relatados com sulfametoxazoltrimetoprim, as doses habituais em caso de perturbação subjacente do metabolismo de potássio, insuficiência renal, ou tomar medicamentos poupadores de potássio. A monitorização cuidadosa do potássio sérico é então justificada. Ou em doses elevadas, tal como as utilizadas no tratamento da pneumonia por Pneumocystis carinii. Nestes casos, o aumento de potássio no soro foi progressivo e reversível após a suspensão do tratamento.Casos de hiponatremia e acidose metabólica têm sido relatados.

Casos raros de hipoglicemia foram observados em pacientes não diabéticos.

Eles geralmente aparecem depois de alguns dias de tratamento.

-Eventos em pacientes com HIV/AIDS: a frequência de efeitos adversos, particularmente da pele, hipertermia, leucopenia, aumento de transaminases e hipercalemia em doses elevadas, é mais importante.

Pancreatite e rabdomiólise têm sido relatados em pacientes recebendo também tratamentos que podem causar tais efeitos.

ATUALIZADO: 07.07.16

medico-emagecer-mulher-projeto-novo

 

>> Recomendamos Para Você:

  • MEDROL (Combate bactérias)
  • ATENOLOL (Usado no trato da pressão alta)
  • SIBUTRAMINA (Indicado para tratamento da obesidade)
  • MAXALT (Utilizado para tratar a enxaqueca)
  • BUSPAR (Medicamento de Anti-Ansiedade)
  • CIPRO (Combate bactérias)
  • CETIRIZINA (Usado no trato dos sintomas de gripes ou alergias)
  • BUPROPIONA (Usado por pessoas que desejam parar de Fumar)
  • ALPRAZOLAM (Usado no trato de transtornos de ansiedade, pânico e ansiedade)
  • DEMEROL (Tratar Dores Musculares Agudas)

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *